Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Me and my self ...on my own


Não me consigo imaginar numa relação amorosa.
Não consigo imaginar-me tão próxima de alguém como já fui.
Não prevejo um futuro com um amor a sério, de verdade.
Não consigo olhar à minha volta e pensar que pode estar, em qualquer lugar, quem me fará amar de novo, querer viver para sempre a seu lado e fazer-me desejar tê-lo todos os dias, de todas as formas.
Não me imagino, no mais íntimo do meu ser, com alguém, por amor de verdade. As pessoas fazem-me impressão e não consigo olhar-lhes como seres passíveis de apaixonar e muito menos de amar. Acho que perdi a fé, a crença nas pessoas. Não acredito, como antes, que o amor seja possível. Não sou capaz de confiar ou estar segura em relação às pessoas...

Estarei seca? Eu não era assim antes de ter amado!
Será que o meu coração congelou? 
É o que me parece, muito sinceramente...

Sinto falta de me apaixonar, de querer muito, loucamente, alguém como antes era capaz.
Tenho saudades de me envolver tanto que chegasse a acreditar que não podia viver sem aquela pessoa...
Tenho saudades de sentir aquela força esmagadora que é estar verdadeiramente apaixonada, de sentir as pernas a perderem a força, os olhos encherem-se de água e sentir, com cada pequena parte de todo o meu ser, o amor que exista quando se troca um beijo sincero, genuinamente apaixonado.
Tenha saudades de me emocionar quando dois corpos se juntam como um só, simplesmente por sentir, na pele uma na outra, todo o amor que nos consome. 

Temo nunca mais voltar a sentir tudo isso.

9 comentários:

  1. Compreendo-te perfeitamente... apesar de ter uma relação, não me consigo entregar a 100%, nem assumir as coisas como devem de ser. Já fui doce e carinhosa, agora há dias que não me reconheço de tão azeda que sou... o amor deixa marcas. Espero que curem com o tempo...

    ResponderEliminar
  2. Há 3 meses escreveria exactamente isto, achava que não me iria apaixonar nunca mais. E sabes uma coisa? é quando menos esperares!!
    Feliz Natal!!

    ResponderEliminar
  3. Eu não sou lá grande pessoa para falar porque partilho muitos, se não todos destes teus medos.
    Mas como diz 1 grande amigo meu, o amor aparece quando menos se espera e vale sempre a pena, não desistas.
    =)

    * * *

    Feliz Natal

    ResponderEliminar
  4. Não te feches ao amor, sim ele dói, mas também nos dá das maiores felicidades possíveis. eu já sofri muito e sinceramente sem amor não era nada do que sou

    ResponderEliminar
  5. Infelizmente sei como te sentes, o importante é tentar viver a vida, pensar e lutar pelo que ainda vem, e não ficar a pensar no que já passou. Muitas vezes só damos valor às coisas, quando as perdemos, e o amor é o exemplo maximo disso.

    O meu melhor conselho é veres o filme "500 days of summer". Pode parecer um conselho ridículo, mas vê que vale a pena :)

    Ah...e não percas esperança nas pessoas, pode ser que tenhas uma surpresa pela positiva.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Diogo, já vi o filme e gostei!

    E este texto foi só um desabafo, sei bem como é que isto é ...!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Sim, e faz bem desabafar ;)

    Como diz o outro...deita cá para fora!

    O filme era só uma ideia para aligeirar a questão :)

    Um beijo
    Diogo

    ResponderEliminar
  8. Por acaso foi-me recomendado há uns meses por alguém mt perspicaz por sinal aqui mesmo no blogue :)

    Viu-o e gostei muito, fez-me bem !

    Beijo

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!