Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 5 de março de 2012

Fins de semana em Italia

Desde que estou em TERAMO que não parei nenhum fim de semana.
O primeiro a minha mãe estava cá ainda; no segundo fui para VERONA/PÁDUA/VENEZA; no terceiro tive o G. aqui comigo; este que acabou de passar recebi o Paul. 

Confesso que ao segundo dia já desejava que o tempo passasse rapidamente pois achava demasiado tempo. Não é por mal...mas é o que sentia. Precisava do meu espaço, de estar comigo mesma...sei lá. Chegou na sexta a hora de almoço e era suposto ficar cá até quarta feira. Mas decidiu ir para Roma alguns dias antes para "conhecer" - disse ele. Penso que ele achou que alguma coisa aconteceria aqui e isso não se verificou, então decidiu fazer malas e tentar a sua sorte noutro sítio - esta é uma cidade pequena, não muito evoluída e onde não há muito para fazer ou ver, que fecha o comércio e animação cedo, não é uma grande cidade cosmopolita... Eu mostrei-lhe TERAMO, fomos as compras (ele foi, eu só acompanhei) e passeámos. No Sábado à noite houve uma festa de ERASMUS numa cidade a uma hora daqui (PESCARA) e ele foi comigo e com os meus amigos italianos... Ora eu sou muito sua amiga mas aqui, em minha casa, não era alguém com quem fosse fácil, para mim, a certo ponto, conviver - tinha de estar sempre a concertar ou arrumar coisas que ele deixava fora do sítio (torneiras abertas, coisas sujas,...). Reclamava e desdenhava tanta coisa - os canais de televisão, as pessoas, os sítios. Além de que é um bêbado chato, mas chato...!

Não fiquei muito contente com ele quando regressámos da festa. Na minha casa aqui, ainda estava um quarto livre, a rapariga chegou hoje, ontem veio por as coisas à tarde. Ora, ele, quando chegámos, depois da festa em Pescara, abriu a porta do quarto livre e perguntou-me se podia dormir lá. Eu achei indecente e disse-lhe que claro que não, que a casa não era minha e que eu não achava bem o que ele estava a perguntar porque eu lhe tinha oferecido (tudo) aquilo que tinha (o meu quarto) e a mais não era obrigada, como é obvio. Ele no domingo de manhã disse que precisava de ir à net ver um hostel em Roma porque ia embora para não me dar mais trabalho pois eu tinha ficado chateada com ele pela noite anterior. Eu disse-lhe que não estava chateada, que só lhe tinha dito o que achava e senti no momento (o que é verdade). Esta manhã foi para Roma. Acho que, no fundo, se revelou e no final de contas até foi bom porque passei a saber com o que contar e quem/como ele é de verdade. Não fiquei chateada e estou de consciência tranquila pois ofereci tudo o que podia e o melhor que consegui.

Hoje estou mais feliz porque voltei a ter o meu quarto só para mim, não é por mal mas eu tenho necessidade do meu espaço, só para mim e ainda por cima agora que estou a passar uma fase particularmente sensível, difícil...ainda mais. Por outro lado, o G. vem visitar-me, não no próximo fim de semana - que terei só para mim, finalmente, um fim de semana sossegado em casa pois ja tenho falta disso - mas no seguinte. Estou muito, muito contente pois preciso mesmo da sua companhia, faz-me imensa falta, tenho imensas saudades. Mal vejo a hora de voltar a estar com ele.

A situação dos meus pais não está bem, mas não quero ainda falar-vos sobre isso, logo que sinta que é o momento saberão tudo o que se passa com a minha família. Por enquanto tenho tentado aguentar-me com a situação e manter-me o mais afastada possível embora teimem em arrastar-me para o que não é da minha conta...

2 comentários:

  1. Por vezes é quando saimos do nosso munod quotidiano e alguém vem connosco "arrastado" e "invade" o nosso espaço que realmente conhecemos as pessoas como elas são ... Umas vezes ultrapassa-se os defeitos, outras vezes não! Mas se ofereceste o que tinhas, a mais não eras obrigada, e realmente era um abuso da parte dele ir usar algo que não era teu! :S

    As saudades é normal, nunca tive numa situação assim, não cheguei a fazer erasmus, e por isso realmente o que estas a sentir só sei de "pensar", e só posso dar forças, porque estás ai a aproveitar algo para ti. A familia e os amigos vão estar cá para te receber quando voltares =))

    No fundo os problemas da familia são os nossos problemas, às vezes mais do que aquilo que podemos querer ... Tem calma e força ... e mesmo que te sintas cansada dá um apoio à tua mãe [se bem percebi ela apoia-se em ti, não é?] ajuda mesmo de longe, acredita! =)

    Apesar desses contratempos, tens tido os fins de semana recheados!! =))

    Beijinhos e aproveita, hein? ;)

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigada pelas tuas palavras e força Sintonia, de verdade :)
    Sabe bem ler estas coisas =)

    Tento aproveitar e apoiar ao maximo a minha mae... Nao tem sido facil mas vai tudo correr bem :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!