Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 26 de março de 2012

Domingo à tarde


A fome chegou a meio da tarde. Depois da NUTELA pus agua ao lume para um chá quente. O sabor a frutos do bosque desperta as minhas papilas gustativas e o cheiro delicioso perfuma o ar. Passados uns minutos regresso ao quarto com a chávena cheia. A esperança era aquecer-me, o corpo e a alma, na casa que já começa a ficar fria pelo entardecer. A chávena entre as mãos quase me queimou a palma mas deixei estar porque sabia bem aquele calor artificial que faz o corpo fervilhar num rodopio de pensamentos soltos, de dúvidas e incertezas, de saudade, de falta. O frio já não é tanto e o chá já vai a menos de meio. Na boca tenho o sabor fresco e intenso a fruta que, quente, me delicia e embala os sentimentos que deixo soltos no ar.


25.03.2012, 17.10h

1 comentário:

Muito obrigada pelas tuas palavras!