Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 26 de março de 2012

A Páscoa deste ano - convicções



Ele viria passar as férias da Pascoa comigo, uma semana, a única altura em que poderia cá ficar muito mais tempo mas hoje recebi a notícia de que já não virá.

Nem sei dizer o que sinto quanto a isso.

Devo passar a pascoa cá, só. Apesar dos convites que tive de algumas pessoas de cá para passa-la com eles, disse sempre que em princípio viria alguém ter comigo. Agora, apesar de já não vir, a verdade é que não tenho muita vontade de passar alguns dias na casa de alguém que não conheço assim muito bem (gosto deste meu quarto, sou muito amante daquilo que é “meu” mesmo temporariamente, talvez por ser das poucas coisas que me faz sentir “em casa” – não me agrada a ideia de ficar em casa estranha, quarto estranho, cama estranha, formas de agir diferentes, estranheza da minha parte, porque não estou habituada, não conheço…). Devia ir porque afinal de contas estou em Itália e, para saber como são vividas aqui as coisas, que melhor do que estar com quem é de cá? E quero ir por esta razão. Mas não muito tempo, o Domingo de Páscoa, no máximo um fim-de-semana, dois ou três dias. Entendem? É-me estranho (estou avessa a) estar sempre a andar de um lado para o outro (entenda-se a dormir em casa/quarto alheio) quando estou num sítio que tão pouco tem de meu, só o quarto que adotei posso chamar “meu”.


Por outro lado, passou-me pela cabeça por momentos (e pela sugestão/pedido dele), ir passa-la a Lisboa mas isso vai contra aquilo que sempre disse e quis desde o inicio. Vim para fora do país por 5meses, por muito longos que possam parecer, são só 5meses, não faz sentido passa-los a ir e vir a casa. A verdadeira experiência é não voltar a casa, conhecer o que há para conhecer, ver o que há para ver, descobrir o que não se conhece nem nunca se viu e não ser “fraca” e voltar à primeira oportunidade para aquilo que é nosso. Não quero ir a Portugal embora a saudade me consuma já. Acho que o regresso seria insuportável. Não vou voltar para a Páscoa.
Já tínhamos feito planos para conhecermos Roma, Siena, Pisa, Florença e agora terão de ser suspensos. A primeira coisa que pensei quando ele disse que afinal não podia vir foi “não quero saber, eu vou na mesma, não vou passar a Páscoa só sem nada para fazer”. Mas depois reflecti, por muito que me atraia a ideia de meter-me na estrada para conhecer por mim mesma e saciar a curiosidade, as viagens a sós não são muito concebíveis. Como é que tiro fotos? Não posso partilhar a adrenalina, a felicidade e todas as emoções que me possa provocar. Para mim, esta visão das coisas é logo desmotivante. Para nem falar que pode até ser perigoso…
Isto tudo para dizer que hoje de manhã – quando era quase certo que a passava com o G. a passear e conhecer, com companhia, depois de termos passado a noite a fazer planos para onde íamos, quanto tempo, como fazíamos e tudo mais – passei a não saber como será a minha Páscoa. Poderia tentar ir a Portugal, poderia passar a Páscoa só a viajar ou, ainda, passa-la com alguma das raparigas que aqui me convidaram. Nenhuma das possibilidades me atrai ou fascina verdadeiramente.

Vou tentar saber se posso ir a Paris ter com a minha TM, ela está lá em ERASMUS. A ver se me recebe e a quanto estão os voos daqui para lá…

3 comentários:

  1. Eu acho que, por estares de erasmus, devias aproveitar mais a vida italiana e não é no teu quarto que isso vai acontecer. Acredito que gostes muito do que é teu enquanto estás de erasmus mas não é por dois dias numa casa estranha que vais morrer. Digo eu. Não me parece que estar dois dias numa casa estranha seja mau de todo até porque isso significa que vais conhecer novas pessoas. Quando se faz erasmus, para além de ir à escola, o que se quer é conhecer pessoas, divertir e fazer com que as saudades da terra natal sejam menores porque se estivermos sozinhos a nossa cabeça irá sempre lembrar-se daqueles que deixámos para trás durante uns meses.

    ResponderEliminar
  2. Sim, não podia concordar mais contigo. Se calhar não me exprimi bem. Eu não quero é passar uma semana longe de "casa", com pessoas estranhas. Dois dias ou três, um fim de semana por mim tudo bem, mais do que isso é que deixo de me sentir confortável. Mas sou sempre assim, aqui ou em Portugal. Não gosto muito de estar muito tempo a dormir em casas estranhas, tolice eu sei mas enfim!

    ResponderEliminar
  3. Compreendo esse teu desejo de não passar muito tempo longe "de casa"... eu tambem sou assim :) mas aproveita os 5 meses que tens em Italia, que do pouco que conheço é um país maravilhoso!!! :D

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!