Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sobre o post anterior...



 Este.

Ele já há uns meses (muitos) não era o mesmo para com a nossa relação e para comigo. Não se importava, não mostrava o que diz sentir, nada...eu implorava, rastejava, pedia mesmo (e tanto falei) para que ele não mudasse para comigo daquela forma. Quando mais precisávamos de estar "juntos" ele não esteve ao meu lado, deu-me por garantida, não se esforçou nem investiu nada em nós recostando-se no que eu fazia para que nos mantivéssemos "perto" e que a nossa relação continuasse viva! Eu fiz tudo, inventei, esforcei-me, tirei forças e imaginação não sei de onde para alimentar o nosso amor e ele limitava-se a "receber" aquilo tudo sem fazer nada e sem sequer dar valor ao que eu fazia sempre. Porque já estava habituado a que fosse eu a fazer tudo e ter sempre algo em mente e não sei que. E não foi falta de aviso ou de falar. Eu bem pedi, falei, implorei que ele me ouvisse e abrisse os olhos para o que estava a deixar acontecer. Eu não era feliz daquela forma. Tinha, quanto muito, migalhas da parte dele, nada mais.

Isto arrastou.se durante quase um ano e eu comecei a ouvir tudo e mais alguma coisa de mal sobre ele vindo da minha mãe. Ele não estava ao meu lado, não fazia nada na vida (algo por ele sabem?), por exemplo: eu passei o verão a trabalhar para guardar dinheiro e ele foi de férias com os amigos! Passou a não partilhar e contar-me tudo sobre ele como antes faziamos (e como exigia de mim).

Eu cheguei ao extremo de no final do ano passado acabar definitivamente até porque a minha mãe disse-me que ele me tinha escondido coisas, que me tinha mentido em tanta coisa e mostrou-me provas...e como as coisas já não estavam bem eu já não era capaz de acreditar no que ele me dizia assim sem mais nem menos contra a minha mãe com provas e tudo mais. Eu fiz tudo por ele, estive contra os meus pais, menti-lhes, tudo só por nós, pelo que sentia mas em troca só recebi frieza e afastamento, distância dele durante tanto tempo. De que me serviu comprar guerras por este amor? De quê se ele já nem me dava o mínimo dele? Foi o que recebi por dar tudo.
 
Depois de acabarmos e de ele perceber que era mesmo a sério disse que mudaria, que me reconquistaria, que provaria tudo o que diz sentir e que me merece. Admitiu que me deu por garantida e que não me deu valor devido e que não me ouviu nem quis ver o que eu lhe tentava mostrar que ele estava a fazer, nunca o quis ver...mesmo passado tanto tempo de eu falar e insistir e pedir e depois de tanto eu ter feito e dito.

Só que eu tenho o meu coração magoado por ter sido ignorada durante tanto tempo, e ele, depois de tantas vezes ele me ter dito que mudaria e isto e aquilo e ter ficado tudo na mesma ou ainda pior e tenho a cabeça farta de tanta pressão da minha mãe e de ter de aguentar o que passava por ele não ser o mesmo e não se importar com isso. Tentei ignorar o que ouvia dele mas ele deu-lhes razão não me fazendo feliz como antes. E  deixei de conseguir aguentar o que aguentei tanto tempo. Já não tenho mais forças, desisti. Por isso agora preciso de estar só e longe dele. Apesar de o amar, estando sem ele não sofro pelo que ele me faz passar nem pelo que a minha mãe me diz e faz por eu estar com ele. Esta foi a minha ideia mas hoje a minha mãe já nem acredita em mim pelo que acha que ainda estou com ele mesmo eu lhe tendo dito o contrário e que a estou a enganar e não sei que mais. E ele continua a acusar-me de ser fraca, de desistir, de dar razão à minha mãe, diz que se acabei com ele é porque não o amo como digo ou disse. Diz que mesmo ele fazendo tudo ao alcance dele nada ficará bem porque eu "não dou hipotese" pois não acredito e não tenho fé em nada nosso, o que me parece mais que normal com tudo o que passei.
Além de tudo custa-me que só depois de tudo o que passei e de tanto tempo (e de tanto falar), só agora e depois de tanto e de chegar ao extremo de acabar e querer estar sem ele permanentemente (pelo menos durante algum tempo que foi o que quis com isto, não sei quanto tempo ou se será mesmo possível mas é tudo o que sei agora: que preciso de estar sozinha durante algum tempo para ver se tenho alguma paz e encaminho a minha vida minimamente porque agora estou só imensamente perdida e sem saber o que fazer, sem nem me reconhecer...) é que ele tenha feito algo e demonstrado o que diz sentir (sim, fez coisas românticas e tudo mais, teve iniciativa e tentou mudar). SÓ AGORA!!! A mim só me faz pensar que ele não me dava a importância que eu merecia e nunca ligou ao que dizia...e deixa-me tão mas tão triste.

Deixei de ter esperanças, de esperar, de querer. Porque senão não conseguia viver comigo mesma. Fartei-me de acreditar, de querer, de desejar e sair mais que desiludida. Passei muito tempo a acreditar e na esperança que ele mudasse e de nada serviu senão para me desiludir ainda mais...

A minha mãe culpa-o de tudo, de não conseguir passar a cadeiras da faculdade quando era uma excelente aluna até entrar para o ensino superior. Não entende que é completamente diferente, que não tem nada a ver e que por isso é muito difícil para mim.
Mudei de vida, de casa, de ensino, fiquei longe do meu namorado que era a única pessoa com quem falava (era mais que meu melhor amigo) e com quem contava, entre outros... não foi só uma coisa, foram tantas, tantas... enfim.

Não sei porque não passo as cadeiras e porque tenho notas miseráveis e isso deixa-me completamente desanimada e desiludida comigo mesma, como é óbvio ninguém gosta que as coisas não lhe corram bem ainda mais quando me esforço e não vejo resultados absolutamente nenhuns desse esforço.

Passo o tempo a ouvir que sou uma desilusão e a maior decepção, vivo com a minha mãe com quatro pedras na mão para comigo, oiço acusações de ser mentirosa, de enganar, de ir contra tudo o que me ensinaram e transmitiram.

Quanto aos amigos, neste momento, não tenho quase ninguém a quem me dê ao luxo de falar sobre estas coisas, sobre o que passo ou passei. Não consigo e não sei se quero... nem tenho alguém com quem tenha confiança e à vontade suficiente para isso.

Enfim... nem digo mais nada
.

Peço desculpa por estar a falar disto assim aqui e desde já me desculpo pela forma como escrevo (que não deve ser a mais correcta mas os sentimentos estão todos à flor da pele...) entendem?

12 comentários:

  1. Sei bem o que isso é querida, mas não te deixes abater. Agora que tiveste coragem para por um ponto final numa relação que não era valorizada pela outra pessoa, vai em frente. Luta para seres feliz!
    Em relação à tua mãe, ela vai voltar a confiar em ti, o tempo vai encarregar-se disso.
    A minha também ficou contra mim, queria que eu continuasse com ele, mesmo sabendo das coisas que ele me fez, tudo isto só para os outros não falarem de mim... enfim!
    Que falem... mas eu quero ser FELIZ!
    Beijinho grande*

    ResponderEliminar
  2. Identifico-me com tudo o que disseste, o meu ex era assim também, tomava-me como garantida e depois era frio. Felizmente acabou, vais ver que daqui a uns tempos isso passa, a vida é para ser vivida, não penses muito nisso, ocupa-te e fez coisas que gostes, pensa em ti, porque todos nós temos valor e merecemos alguém que nos valorize, não o contrário.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Pois, só que a minha mãe também está contra mim e eu convivo e dependo do que ela quer...
    Infelizmente só me apetece passar o dia todo, inteirinho, na cama, podia ser que assim esquecesse o que sinto...
    Corro o risco até de não voltar a Lisboa para as aulas pelo que ela me diz porque não vou estar lá para perder cadeiras... OMG

    E não consigo fazer nada contra isto.

    ResponderEliminar
  4. O blog serve para isto mesmo. :/
    No que toca a não ter os resultados que desejamos, eu entendo-te.
    No restante, não tenho experiência. Mas se ele só abriu os olhos quando te perdeu, é porque de facto, não te dava a importância que merecias. É mau, mas é verdade. E se agora não entende que mereces o teu espaço, é porque não te merece, porque não te respeita. Digo isto, sem o conhecer, mas acho que depois de tudo o que escreveste, também achas isto.
    Nada do que possa dizer, te vai animar neste momento.
    Mas tenho a certeza que vai tudo melhorar e que vais encontrar a paz de que tanto precisas.
    Quanto à tua mãe, eu não sei o que faria. Mas sempre te podes dar ao luxo de estar de consciência tranquila porque fizeste tudo o que podias para as coisas darem certo, em todos os aspectos, se não deram não foi por culpa tua. Agora, cabe-lhe a ela perceber isso.

    Desculpa o testamento e desculpa estar a falar sem te conhecer nem a eles, mas acho que uma opinião é sempre bem-vinda.

    ResponderEliminar
  5. Claro que é! Obrigada. E tens toda a razão! Quem vê de fora, normalmente, acerta sempre porque vê melhor as coisas!

    ResponderEliminar
  6. Compreendo o que estás a passar Dani, porque eu passei pelo mesmo há um ano atrás...e posso dizer-te que também não foi bonito. Tento não pensar nisso, porque agora namoro e gosto bastante do meu namorado. Trouxe-me aquilo que tinha morrido com o ex. Voltou a dar-me vida.

    Sei que custa, mas não te deixes cair. Ele vai andar a 'perseguir-te' para voltares para ele, mas não o faças! Mesmo que a mente e o coração te digam para voltares. Ele pode dizer que vai mudar...mas não vai. Talvez poderia, mas é difícil. A relação não iria ser a mesma.

    Sobre a relação com a tua mãe, também consigo imaginar o que estás a passar...e sei que não é nada fácil ouvir isso tudo vindo da mãe...a mãe que era suposto estar ao teu lado e não fazer com que te sintas mais sozinha. A relação com o meu pai é bem pior que essa, acredita.
    Sobre os amigos...eu também não os tenho. Só me restam colegas e pessoas conhecidas. As amigas que tenho estão em Coimbra a estudar, mal nos vemos...já lá vão meses. A última vez que estivemos todas juntas foi estranho...só falavam da universidade e de rapazes e eu não tinha grande coisa para falar...porque a universidade não era a que eu queria, a cidade muito menos. Fiz um enorme esforço para não sair de lá a chorar...não as reconhecia!

    Quanto ao tamanho e à forma como te expressas-te, não tens que te desculpar. Às vezes sentimos-nos mais 'leves' se escrevermos o que se passa, se deixarmos cair umas lágrimas sozinhas, no nosso cantinho.

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigada, comigo é o mesmo. Eu não tinha "amigos" porque ele era o meu melhor amigo e não precisava de mais ninguem mas quando fui pa Lisboa (e ele para Braga) tudo mudou e ele ao afastar-se deixou-me completamente sozinha porque eu não me dou com mais ninguem como verdadeiro amigo(a). Só agora, depois de acabarmos, tenho tentado resgatar algumas relações destruídas antes. Mas as pessoas com quem ate consigo falar tb me estão mt longe...

    Quis ir estudar para onde entrei, no curso em que estou e na faculdade onde estou mas nunca pensei que as coisas pudessem ser assim. Sabia que não seria fácil mas nunca o julguei tao dificil...

    A minha mãe tem-me feito sentir a pior pessoa à face da Terra, não merecedora de nada, nem de tentar sentir-me melhor ou fazer outras coisas porque me diz e pensa (e sente!!!) td aquilo de mim.

    ResponderEliminar
  8. "Eu não tinha "amigos" porque ele era o meu melhor amigo e não precisava de mais ninguem mas quando fui pa Lisboa (e ele para Braga) tudo mudou e ele ao afastar-se deixou-me completamente sozinha porque eu não me dou com mais ninguem como verdadeiro amigo(a)."

    Eu também abdiquei dos meus amigos. Acredita que foram poucos aqueles que não me largavam só porque ele dizia que não me queria ver com eles. E eles, refiro-me a elas também. Lá no fundo, os meus amigos sabiam que eu gostava mesmo muito dele, e que por ele fazia tudo...e fiz, e não foi pouco. Quando acabámos, acho que os meus amigos respiraram de alívio porque eu estava a morrer, completamente. E quando achava que tinha encontrado alguma estabilidade na vida, com amigos, família...parece que me enganei. Amigos, nem vê-los. Família, o pai tenta mesmo fazer-me a vida negra.

    ResponderEliminar
  9. Pois. Comigo foi a mesma coisa. A minha mãe é que está contra mim por eu ter estado com ele e tudo mais. E os meus amigos, nem vê-los. Porque me afastei por ele tambem e porque não eram (a maior parte) verdadeiros amigos! O pior é que, depois disto, não é facil "fazer" amigos como já foi...
    Gato escaldado... !

    ResponderEliminar
  10. Ele não te deu o devido valor e fizes-te bem em afastar-te. Tenta ter uma conversa séria com a tua mãe e explica-lhe que estar contra ti não ajuda em nada, mesmo na escola. Tens muita pressão sobre ti e é normal que as coisas não corram pelo melhor por isso tenta fazer ver À tua mãe que as coisas entre ti e o teu ex já estão esclarecidas e resolvidas e que agora vais dedicar-te aos estudos e ganhar novamente a confiança dela.
    Bjokas e força*

    ResponderEliminar
  11. olha sabes uma coisa? tudo o que contas e desabafas é muito comum nesta vidinha que levamos! o unico conselho que posso dar te, mesmo nao te conhecendo, é que tens que pensar mais em ti, tens que definir prioridades na tua vida! Se gostas do teu curso e nao consegues passar a algumas cadeiras a culpa nao é de ninguem, sao coisas que acontecem quando tudo o resto tb nao anda bem! Concentra te naquilo que queres de melhor para ti e para o teu futuro, acredito que so com este pequeno pensamento consigas mudar o rumo de muita coisa! :) bjs

    ResponderEliminar
  12. Obrigada. Foi o que me moveu agora mas é tão dificil. Enfim.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!