Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 9 de março de 2011

Ser mulher

É tão bom! 
A sensação de um certo poder/ monopólio sobre o sexo oposto é óptima mas melhor ainda é a que temos sobre as que se acham melhores e na verdade são as mais pobres de espírito.

O que não faltam são mulheres com a mania que são melhores que todas, que sabem tudo e que podem fazer tudo e passar por cima de todos para seu bel-prazer, apenas porque lhes dá gozo. 
Quando as mulheres a sério, senhoras do seu nariz mas que não são baixas como as primeiras nem se acham melhores do que ninguém, apenas sabem bem o valor que têm, lhes passam por perto fazem-lhes sombra, arrastam consigo, no seu andar confiante e seguro de si, uma brisa de genuinidade que "chuta para canto" as mulheres baixas, que lhes tira o pio quando elas são quem tem sempre algo a dizer mesmo que falem só por falar.

As mulheres a sério são como os homens (a sério), não têm de se esforçar por mostrá-lo, para serem vistas ou para chamarem à atenção, já o conseguem só por si e sem ter de se esforçar como aquelas que tanto se tentam mostrar e fazer melhores que as restantes.

As mulheres a sério têm a sua própria força, o seu je ne sais quoi, a sua aura, um poder especial. As outras podem tentar de tudo mas colocando-as lado a lado nem são capazes de alcançar os calcanhares das primeiras.

As mulheres a sério lutam por aquilo em que acreditam e não se vão abaixo facilmente. Choram muito mas limpam as lágrimas e seguem ainda mais determinadas e seguras do que querem para si, na sua vida. Podem nem sempre saber o que devem fazer mas, quando não o sabem, procuram conhecer, descobrem maneiras de se desenvencilhar e continuam o seu caminho. 

Não vivem sozinhas mas podem muito bem fazê-lo porque não dependem de ninguém nem para sobreviver, nem para serem felizes porque já o são consigo mesmas. 

São mais fortes, sabem o que valem, confiam em si e naquilo que são verdadeiramente sem se preocuparem em provar a quem quer que seja, o que quer que seja; sem lhes atormentar o que o mundo conspira contra elas, sem lhes importar tudo aquilo que tentem para as atingir, as mulheres a sério.

A mulher a sério, a verdadeira, tem amor próprio e o que conta é a sua própria consciência e estarem bem consigo mesmas.

4 comentários:

  1. Hmmm... Concordo com algumas partes do que li aqui. Mas também acho que uma "mulher a sério" não se dá ao trabalho de denegrir as outras, sejam elas "baixas" (segundo o seu julgamento) ou não. Só pelo facto de o fazer mostra que se acha melhor. E na realidade, não há melhor nem pior.
    Acho que o grande problema das mulheres é mesmo este. Não é por termos sido oprimidas por uma sociedade machista que não estamos nos lugares de poder e que o mundo é controlado por homens. É pela existência deste espírito entre as mulheres: de competição, de rivalidade. Os homens não são todos perfeitos, não são todos "homens a sério". Mas não se relacionam da mesma forma que as mulheres entre si. Os homens não se analisam, não comparam a roupa que trazem vestida, não andam a falar nas costas uns dos outros, só para dar alguns exemplos. Apoiam-se uns aos outros, unem-se. E isso dá-lhes muito poder.
    Não me lembro de alguma vez ter lido um texto escrito por um homem a denegrir homens supostamente "baixos" ou inferiores em algum aspecto, só para tentarem provar dessa forma que não são como eles. Este tipo de coisas só faz transparecer insegurança, a necessidade de provar algo que se estivesse realmente estabelecido não teria necessidade de ser expresso em palavras. A verdadeira mulher que gosta de si e que é uma "mulher a sério" não pensa nas "outras" e nos seus defeitos, e no quão diferentes elas são de si mesma... Uma mulher a sério simplesmente é, e é indiferente a tudo o resto.

    ResponderEliminar
  2. Claro Anónimo, foi isso que tentei transmitir no meu texto. Não era meu objectivo com este "denegrir" ngm, só quis passar exactamente essa ideia, de que existem as que fazem isso e as que, sendo mulheres a sério, não têm nada a provar a ninguém... Se não foi isso que transmiti, erro meu mas era o que pretendia pois partilho da tua opinião!

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!