Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Quem diria


Que a vida ainda seria capaz de me surpreender (e tanto)!

Recuperei, recentemente, na minha vida pessoas muito importantes, especiais demais para mim, únicas mesmo! Pessoas com quem perdi o contacto e a ligação tão próxima e óptima que tive no passado durante imenso tempo (anos sem nos falarmos, vermos, etc.) e que hoje estão de novo de volta na minha vida. E não foi só uma delas ou duas, foram várias neste curto espaço de tempo e fizeram-me lembrar o quanto a amizade é fundamental, juro-vos que me esqueci durante, pelo menos, 3anos...
É tão bom ter/estar com alguém que já nos conhece como mais ninguém, com quem não temos de fazer rodeios, que nos poupa palavras e/ou longas explicações porque nos conhece bem demais e sabe o que e como somos, que nos percebe, com quem mantemos a mesma empatia e facilidade de entendimento, compreensão, etc., com quem tanta vez basta um gesto ou um olhar para expressar ou perceberem o que nos vai na alma, que, apesar de tanto tempo passado, de ambos termos vivido tanto e tão diferente e termos estado sem contacto um com o outro parece que falámos ainda ontem e nos damos tão bem como no auge da nossa relação inicial... Podia ficar nisto até amanhã!


Sabem o que acho que isto me ensina? Que tudo acontece por um motivo, tudo tem uma razão (mesmo que nós não sejamos tanta vez capazes de compreendê-los, mas isso é porque ainda não estamos capazes a esse nível e porque há coisas que não se entendem, limitamo-nos a aceitá-las e é assim que tem e deve ser!) Tenho-me dado conta de que cresci enquanto pessoa e hoje vejo e encaro a vida e as coisas que acontecem de uma forma completamente diferente. Cresci tanto desde que decidi tomar eu as rédeas da minha vida (desde a passagem de ano)... durante quase 3anos senti-me completamente estagnada enquanto ser humano independente e autónomo. Aprendi muito durante esse tempo mas sobre o que é amar e do que se é capaz, do quanto o amor nos muda e transforma, nos pode cegar se permitirmos.

As voltas que a vida dá!

Hoje tenho a meu lado pessoas especiais, que já conheço há imenso tempo e que faço questão de manter bem perto e estar presente nas suas vidas também porque já estivemos separados durante muito tempo e, tendo agora voltado as circunstâncias a juntar-nos, é porque temos algum propósito a prosseguir juntos.
Eu não quero sequer que nos afastemos, quero é ter-vos a todos mais próximos porque me são importantes demais mas se a vida tiver mais surpresas guardadas para nós, nunca deixarão de ser as mesmas pessoas (com a mesma importância) na minha vida e tenho a certeza de que por muito mais tempo vamos poder partilhar uns com os outros partes essenciais de nós mesmos.


Estou mais completa convosco e isso deixa-me imensamente feliz e muito melhor pessoa. Porque me fazem bem, querida e única C., meus amigos do coração D., T., P. e P.F. e o especial N.

Em tão pouco tempo, no meio de tanta coisa má, foram das melhores coisas que me aconteceram! Obrigada a cada um de vós, do fundo da minha alma, de coração aberto!


2 comentários:

  1. É como dizes tudo acontece por uma razão, nós é que no momento não entendemos essa tal razão!
    Ah, pois é, muito aconteceu nas nossas vidas ao longos destes anos, muitos momentos perdemos, muitas situações especiais aconteceram e nós não tivemos presentes nessa altura na vida uma da outra, mas com certeza outras pessoas estiveram, e talvez agora, neste momento, já não pertencem tanto ás nossas vidas, como tu agora pertences á minha e como eu pertenço á tua. É bom ter uma amiga de infância que dentro daquele grupo com quem crescemos, se manteve única, e em parte inalterada, mas sem dúvida uma pessoa muito melhor, mais experiente e sábia, crescente D. e eu cresci, mudamos... Mudamos de amigos, mudamos de escola, saímos da ilha, estás em Lisboa e eu no Porto, no meio de tudo isto houve sempre um cantinho que pelos vistos estava ali guardado para ti! E tu chegaste de mansinho, apoderaste-te dele e agora voltaste em força, fazes parte da minha vida e é com muito grado que te tenho nela e espero sinceramente que um dia, estejamos as duas velhinhas sentadinhas no café a falar da vida, e a rir de tudo o que passamos!
    <3

    ResponderEliminar
  2. É bem verdade. Faço minhas as tuas palavras. Já nem sei como é que voltámos a falar de novo mas é como se nem tivessemos estado sem contacto tanto tempo, era como se, no fundo, soubesse que poderia contar ctg apesar de tudo, não sei explicar :/
    É que disseste mesmo tudo, faço minhas as tuas palavras! <3

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!