Pesquisar neste blogue

sábado, 21 de abril de 2012

Domenica a Roma

"Domingo estaremos juntos, cinco, seis horas, demasiado pouco para falar, suficiente para calar-se, para dar as mãos e olhar-se nos olhos."

O nosso domingo em Roma começou mais tarde que o dia anterior. Estávamos cansados e só nos despachámos mais tarde.

Um pequeno almoço improvisado e mais reforçado.

Tínhamos acordado com um dia solarengo mas como nos demorámos em casa, mal pusemos os pés porta fora, sem guarda chuva, começou a pingar e voltámos atrás a buscá-lo.
Desta vez, seguimos o conselho da I. e apanhámos um comboio perto de casa dela que leva directamente a uma estação de metro. Da qual depois, partiríamos para mais um dia de descoberta de Roma.

Desta vez o destino era a afamada FONTANA DI TREVI desde o início do dia. Mas distraímo-nos no metro e não saímos na estação correcta (BARBERINI). Quando demos por nós estávamos já na seguinte (REPUBBLICA) e aí saímos convencidos que, sendo apenas a seguinte, chegávamos facilmente a pé sem ter de pagar outro bilhete de metro.

Basílica por fora (aquela à direita mais escura)
Interior da Basílica

Saímos na PIAZZA DELLA REPUBBLICA . Chovia levemente. Avistámos uma praça grande e uma basílica - SANTA MARIA DEGLI ANGELI - estranha, como que enfiada na rocha. Decidimos entrar e qual não foi o nosso espanto quando pisámos o seu interior! Mal conseguia acreditar que era a mesma que tínhamos visto de fora... era lindíssima, enorme, riquíssima (como todas!).
Quando saímos pedimos informações sobre como chegar à FONTANA a um senhor que lá nos indicou mais ou menos um caminho. Agora sei (depois de ver o mapa) que, em vez de termos ido pela VIA NAZIONALE podíamos, simplesmente, ter andado para trás, pela VIA BARBERINI, que nos levava mais rápida e facilmente à FONTANA DE TREVI. Em vez disso, andámos literalmente às voltas e a fazer quilómetros... Nós atravessámos a rua e demos de caras com um MAC DONALD'S - decidimos almoçar logo ali, ambos já não comiamos MAC há imenso tempo (matámos um desejo!) e já eram umas 14h/15h...


Depois de comer seguimos a VIA NAZIONALE (como nos tinha dito o senhor), cheia de gente, movimento e lojas... é uma avenida ainda grande e pelo que nos tinha sido indicado deveríamos percorrê-la toda. Assim foi. Quando chegámos ao fim demos por nós sem saber por onde ir mas avistámos uma cúpula e seguimos na sua direcção. Caminhámos mais uns minutos e descemos umas escadas (de onde vinha muito movimento e se via uma espécie de torre alta). Parámos numa loja de recordações e acabámos por lá comprar selos (para mandar postais) e, finalmente, um mapa. A partir daí tudo foi muito mais fácil e prático.


Pormenor do Vittoriano

Vittoriano


Descobrimos que estávamos em frente ao FORUM TRAIANO (troiano), seguimos até à PIAZZA VENEZIA e avistámos o MONUMENTO A VITTORIO EMANUELE II ou VITTORIANO. Verdadeiramente majestoso, eu fiquei rendida. Só pudemos ver de fora, não sei se dá para subir sequer as escadas, estavam os portões fechados e havia guardas e, como antigamente, dois postos de fogo junto aos mesmos - parecia tirado de um filme.


Percebemos que o COLOSSEO era já ali ao lado e, embora o nosso objectivo fosse, primeiro, ver a FONTANA, insisti para que, já que ali estávamos tão perto, fossemos duma vez até ao COLISEU e, depois, procurássemos a FONTE. Afinal, já o conseguíamos ver mesmo ali ao fundo e, se fossemos até à FONTE, depois podíamos já não ter vontade e/ou tempo de voltar ali para ver o COLISEU.

Colosseo

Percorremos toda a VIA DEI FORI IMPERIALI podendo ver o FORO DI CESARE e o FORO ROMANO em toda a nossa direita, à medida que avançávamos em direcção ao COLOSSEO.
Chegámos ao COLISEU! Encontrei por lá um gato preto que me deixou fazer-lhe festas, as fotos foram muitas...é um monumento grandioso. O mesmo está em recuperação pois parece que temem que não se sustente e venha a ruir (parece que houve mesmo partes que caíram, daí o alarme). O metro COLOSSEO está mesmo na praça principal onde está o monumento, é muito prático para quem usar pois sai, directamente, no ponto de interesse.
Vimos também o ARCO DI COSTANTINO e depois, com a ajuda do mapa, traçámos um caminho para voltar para trás e, finalmente, visitar a FONTANA DI TREVI.


Subimos umas escadas que vão desde a PIAZZA DEL COLOSSEO à VIA NICOLA SALVI, seguimos pela VIA DEGLI ANNIBALDI, continuámos pela VIA DEI SERPENTI onde perdemos algum tempo porque tinha lojas engraçadas e diferentes - uma delas VINTAGE fantástica e uma AMERICAN qualquer coisa.

Por do Sol


Já ficava tarde e tínhamos de nos despachar para ainda conseguirmos ver a FONTANA. Encontrámos de novo a VIA NAZIONALE mas seguimos pela VIA DELLA CONSULTA que nos levou à VIA DEL QUIRINALE. Ficámos fascinados pelo por do sol que, mesmo naquele instante, se fazia ver diante dos nossos olhos. A PIAZZA DEL QUIRINALE foi o lugar perfeito para assistir àquele espetáculo maravilhoso, a dois. Lindo, de encher o coração!


Descemos umas escadas, desde a praça, que dão para a VIA DELLA DATARIA, uma rua já com uma ligeira inclinação mas que, felizmente para nós, era a descer (lembrei-me logo de como tinha sido bom irmos naquele sentido e não no contrário porque, preguiça a minha, não sei se teria pachorra para subir aquilo depois de um dia inteiro a andar). Virámos na segunda à direita e depois na primeira à esquerda e tínhamos, finalmente, chegado à FONTANA DI TREVI.

Fontana di Trevi

Já estava escuro e a praça estava repleta de gente - é demasiado pequena para a dimensão daquela fonte fascinante. Eu parecia que vivia um sonho! Que coisa mais linda!!! E aí concordámos que tudo acontece por alguma razão e termos lá chegado só àquela hora era a prova disso e a melhor coisa que nos podia ter acontecido. Vimos tanta coisa, caminhámos mais durante o dia e enquanto o comércio estava aberto, apanhámos um por do sol magnífico e vimos a FONTE à noite, que é algo verdadeiramente mágico!


Tirámos imensas fotos e ainda perdemos lá algo tempo (mas merecia não é!?!), com direito a atirar de moeda e pedido de desejo de costas voltadas para ela.


Àquela hora já estávamos cansados e com fome. A I. recomendou-nos um local para jantarmos e combinámos encontrar-nos depois com mais alguns amigos dela. Recomendou-nos uma OSTERIA/TRATORIA (que são do género antigas tascas portuguesas mas italianas) em TRASTEVERE, um bairro conhecido e bem típico.


Pusemo-nos ao caminho. Ela tinha apontado para as 22.30h para ir ter connosco e deviam rondar 20.30h. Tínhamos de apanhar um eléctrico até lá para ser mais fácil e rápido, disseram-nos e nós concordámos pois estávamos cansados e com tempo à justa. Assim, rumámos à TORRE ARGENTINA para aí apanhar o eléctrico. Pelo caminho, voltámos a passar pela PIAZZA VENEZIA e pelo VITTORIANO que, também ele, à noite, ganha um outro encanto especial (e, claro está, teve direito a foto).

Vittoriano à noite


Apanhámos o eléctrico e procurámos o local indicado. Quando lá demos com o sítio estava cheio e havia fila a aguardar lugar, além de que, os preços eram um bocado altos para o nosso gosto. Ainda lá ficámos à espera um bocado pois queríamos dar-lhe o benefício da dúvida (tendo-nos sido recomendado...) mas acabámos por decidir-nos a comer no que estava em frente praticamente que tinha lugar e preços mais em conta - estávamos esfomeados!


A CASETTA DI TRASTEVERE serviu-nos bruschetta (duas), uma pizza, água e peito de frango grelhado por 16€ já com taxa de serviço incluída (2€, um por pessoa). Ficámos satisfeitos embora tivéssemos esperança que não nos cobrassem aquele último... Comemos bem, rápido e barato. Só o serviço deixou um pouco a desejar e, ter-nos, ainda assim, sido cobrado é que não nos caiu lá muito bem. 

Mesmo quando terminámos ligou-nos a I. a dizer que já estavam a chegar e a indicar-nos onde tínhamos de ir ter e lá fomos - era mesmo ali ao lado.
Chegou a I. e o namorado e fomos ter com uma amiga sua e o A. que nos tinha ido buscar ao metro (e deixar em casa da I.) no primeiro dia... fomos até um bar onde vendiam bebidas brasileiras (BUBUM DI MEL). 

Quando nos preparávamos para pedir o G. não encontrava a sua carteira com o dinheiro. Foi cá um stress! Ficámos mesmo chateados e não sabíamos o que fazer. Ele tinha lá 20€ e eu nem queria acreditar que tinha perdido mesmo mas, não pensava que a pudesse encontrar e recuperasse o seu dinheiro. Pensei que o tinham roubado no eléctrico, era só o que me vinha à cabeça e duvidava seriamente de puder voltar a ver cor daquilo, assim sendo.


Ele lembrou-se de voltarmos ao restaurante onde tínhamos jantado e, depois, talvez, fazer o caminho que tínhamos feito de novo para tentar encontrar. Eu achava uma perda de tempo e que seria inútil fazer aquele caminho todo ou ir até ao eléctrico porque, obviamente, não estaria lá o dinheiro à sua espera, passado tanto tempo e numa zona movimentada como aquela, de noite... Mas o restaurante era uma boa ideia, era mesmo ali ao lado e não custava tentar. Dissemos-lhes e eles ofereceram-se para ir connosco.
Quando lá chegámos estava a funcionária que nos tinha atendido à porta, com um colega, e, assim que nos viu, levantou a carteira mostrando-a. Disse que estava caída junto à mesa. Deve ter caído do seu bolso porque quem tinha pago tinha sido eu, ele não tinha usado lá a carteira... Foi cá uma sorte! Nem podia acreditar e, depois daquele susto, só me conseguia rir. Ganhámos a noite!


Lá fomos beber um copo e conversar durante umas horas. Depois regressámos a casa, a I. levou-nos e metemo-nos na cama. Já devia ser perto das 2h... O G. tinha bebido um BLACK MOJITO e um SPRITZ (bebida típica de cá) e estava alegre...a mistura tinha-o feito ficar tocado e eu só me ria com aquela situação - porque ele ria-se e dizia que já estava "quentinho"...

P.s. As fotos são da minha autoria. Agradeço que, se as quiserem usar, falem comigo primeiro!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!