Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Semana de avaliações


Depois de (somente) 4h de sono e estudo feito demasiado em cima da hora (às três pancadas), a capacidade para conseguir desenvolver teorias filosóficas na minha primeira prova oral numa língua estrangeira (sendo a primeira da prova), tinha reduzido drasticamente. Por isso, a prova podia ter corrido melhor. Agora é preparar-me mesmo à séria para dia 30 ser capaz de fazer boa figura e subir o 24 (numa escala de 1 a 30 onde 18 é positiva).


Sair dessa prova e ficar pela faculdade até à seguinte tinha o intuito de conseguir aproveitar cada segundo a estudar, uma vez que nem tinha olhado para aquela matéria desde a discussão de segunda feira, mas não foi muito bem conseguido uma vez que estava distraída, cansada e desconcentrada.

À hora marcada lá estávamos nós, as quatro alunas daquela cadeira, à porta da sala do costume. Passou-se 15min, outros 10 e estranhámos. Não era normal tanto atraso, ainda mais daquela professora, ainda mais quando tinha dado aula mesmo no tempo antes… Esta foi a cadeira que mais trabalho deu ao longo do semestre, apesar de ser uma disciplina opcional não é coisa leve, é uma matéria muito interessante mas complexa, no entanto, o curso seguiu uma vertente prática, baseada na apresentação e análise de casos práticos que nos serviam de base ao tema que devia ser tratado. Previu-se sempre, também, a aplicação da teoria que aprendíamos ao caso concreto. Coisa que, apesar de muito útil, não é muito usual no meu curso. Fizeram-se apresentações em aula, cada uma de nós apresentou dois temas, fomos a quase todas as aulas, participámos nas mesmas, aderimos a propostas de exercícios práticos (como a discussão de segunda feira) e revelou-se uma disciplina extremamente rica e uma abordagem, sem qualquer sombra de dúvida, útil.

Começámos o pré-exame fora d’horas e numa sala de reuniões de conselho de faculdade ou algo do género e por ordem alfabética (de sobrenome). Ao inicio estava mesmo assustada porque não sabia o que esperar. Depois de interrogar a primeira rapariga fiquei a pensar "mas que raio nos pergunta a nós?" – quis-me parecer que já tinham falado, ali, de tudo aquilo que eu me lembrava de termos estudado! Aí, fiquei realmente assustada.

A professora é fantástica, uma pessoa extremamente sábia, que entende daquilo que faz – contou-nos que a disciplina terminará porque ela vai estar longe da faculdade por 2anos. Porquê? Porque foi convidada para integrar parte da UNIDROIT (lei/direito uniforme a nível de comércio internacional). É um “cérebro”, um pequeno génio e, ao mesmo tempo, extremamente gentil e humilde, calma, que nos deixa tranquilos e à vontade não deixando de ser exigente. 2h depois terminámos, todas com a nota máxima. Pelo empenho, dedicação, participação, trabalho e capacidades de aplicação daquilo que foi estudado, de relacionar assuntos, etc. Não podia estar mais contente. No dia 30 oficializo a nota (data do exame oficial) !!!!


Amanha pretendo passar o dia em casa, uma vez que não tenho mais aulas (terminaram hoje), a estudar para o teste de sexta feira que, passando, me permite não ter de ir a exame que é bastante exigente para italianos, quanto mais para mim, porque a professora não é lá muito boa da cabeça. Ou seja, embora ainda nem tenha olhado para aquilo, tenho, à força, de passar aquele teste de sexta. Só depois disso posso acalmar um pouco. Depois é preparar para o exame do fim do mês (dia 30) mas já com mais calma, felizmente.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!