quinta-feira, 7 de março de 2013

Na viagem da vida



"Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não encontra graça em si mesmo…
Morre lentamente quem se torna escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, não arrisca vestir uma nova cor, quem não conversa com quem não conhece…
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho ou amor, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos…"
Pablo Neruda

2 comentários:

  1. Já conhecia esse texto maravilhoso. Tenho a longevidade garantida...passo a vida a rir-me de mim, já não viajo tanto como gostaria, não posso, não sou escrava de hábitos...e vontade de virar a mesa não me falta...no trabalho.
    No amor, como sabes:) estou beeeemmmm, obrigadinha, vou morrer velhinha e apaixonada:)

    Jinhossss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é a receita para o sucesso :P
      <3
      Beijinhos :)

      Eliminar

Obrigada pelas tuas palavras!

Mais um regresso e o Verão a chegar

Cá estou eu de volta passado quase um mês desde a última publicação. É o reflexo do que têm sido as minhas últimas semanas! Tive das semana...