Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Dos favores e da falta de consideração

Fazermos um favor, deliberadamente, com intenção genuína de contribuir com algo positivo para alguém e não sermos valorizados já não é bom, então quando roça a desconsideração, é qualquer coisa que me tira do sério.
Eu tenho uma amiga longe, ela queria um artigo, eu como estou cá, poucos dias depois de ela me ter confidenciado que queria comprá-lo e lamentado não o ter reservado decidi que lá passaria para o reservar por ela. Era um artigo único e eu teria de lá ir pessoalmente ver se ainda existia e, se existisse, eventualmente reservá-lo para ela. O sítio é longe de minha casa e eu fui de propósito mas fi-lo por gosto e iniciativa própria, fiquei satisfeita por poder ajudar.
Ainda que quando lá tenha ido ela não me tenha respondido logo, apesar de saber que eu lá ia, tomei a iniciativa de o reservar depois de constatar que ainda existia. Ainda esperei na loja por uma resposta mas não a obtive e perguntei como deveria fazer para o reservar. Responderam-me que teria de deixar um sinal para ficar reservado e eu entreguei 50€ porque era o que podia (embora na verdade nem isso pudesse mas pronto, era o máximo que tinha possibilidade de dar).
Depois disso falámos, ela viu as minhas mensagens onde lhe contava tudo e agradeceu, disse que já ficava mais descansada e tudo mais. Mais tarde disse-me que lhe dissesse quanto é que me tinha de pagar. Eu tinha-lho dito logo no dia mas voltei a fazê-lo. Mandei-lhe o meu nib passados uns dias, a seu pedido.
Desde então nunca mais me disse uma única palavra sobre o assunto, já se passou mais de um mês desde que eu fui à tal loja e paguei aquele valor por ela. No início deste mês recebi um depósito na minha conta e perguntei-lhe se tinha sido ela. A resposta que tive foi "não mas está descansada que não está esquecido". Desde então, não entrou nada na minha conta nem me falou mais do assunto.
Ora, será que é só a mim que 50€ me fazem diferença? Será que sou só eu que, devendo dinheiro a alguém, ainda mais uma quantia relativamente alta, tento saldar a minha dívida o quanto antes? Será que é só a mim que me faz confusão dever dinheiro a alguém, até a mim mesma (quando se tratam, por exemplo, de poupanças)? Será que estou errada em achar que, se não se pode pagar a alguém a quem devemos, o mínimo que temos obrigação de fazer é falar do assunto à pessoa? Nem que seja um "epah, desculpa, estou com dificuldades em pagar-te" ou "não consigo agora, só em tal dia devo conseguir", sei lá, qualquer coisa. Parece-me básico, lógico e o mínimo da boa educação e dos princípios. Mas se calhar sou eu que não percebo nada disso.
Caramba, somos amigas e se não lhe dá jeito pagar já não há problema para mim, desde que se digne a dizer-me pelo menos isso! É que nem peço que me pague mas pelo menos que me avise de alguma coisa.


A verdade é que as pessoas não têm noção, brincam com a vida dos outros sem a mínima consideração ou respeito. Não se dão ao trabalho de parar para pensar que estão a influenciar a vida dos outros, que podem estar a prejudicar alguém que só quis ajudar. Isto para mim é inaceitável e é ridículo que seja eu, quem fez o favor, a preocupar-me com isto. 
Quase que eu é que me sinto mal porque tenho de ser eu a falar do assunto quando me parece lógico que quem está em falta é quem deve falar. Afinal, eu até já falei do assunto. E a sensação que tive foi a de que eu estava a "incomodar" com isso. Haja paciência, esta gente não tem noção...
O mais triste disto tudo é chegar à conclusão de que estamos rodeados de pessoas assim, sem consideração pelo outro, sem consciência e sem noção das suas atitudes. E assim se afastam as pessoas.

4 comentários:

  1. Acho que as pessoas realmente não tem noção. Eu perguntava-lhe se já te fez a transferência, que por acaso ate estavas a precisar do dinheiro. ponto.

    ResponderEliminar
  2. Percebo-te perfeitamente! E é incrível como depois somos nós, a quem devem dinheiro, que nos sentimos "mal" por estar constantemente a tocar no assunto... Mas se as pessoas não têm noção, só assim é que vai lá! Enfim, não sei exactamente a relação que têm, mas não dá para lhe dizer isso? Eu percebo que ela é que devia ter essa noção, não haveria necessidade de ter essa conversa, mas ainda assim ao que parece a pessoa em causa não tem qualquer noção disso...

    ResponderEliminar
  3. Eu dizia-lhe que precisava do dinheiro...

    ResponderEliminar
  4. E é por isso que eu nunca me meto a emprestar nada a ninguém. Com o namorado não temos essas coisas, tudo o que eu "empresto" na realidade é dado. Não ando a contar o que dei, o que emprestei, se fui eu que paguei, etc. Agora a outras pessoas, é para esquecer. Principalmente valores elevados. Eu fiz uma encomenda na AVON para uma amiga, acabei por ter que ser eu a pôr o dinheiro porque não nos íamos ver antes do prazo de pagamento e, apesar de ser pouco, já fiquei "chateada" com a situação. Mesmo tendo a certeza que ela me ia pagar (porque tinha mesmo!), é chato ter que andar com o nosso dinheiro à frente. Faz sempre falta.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!