Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 16 de março de 2017

Como o tempo passa por nós

A sensação que tenho é que os dias, as semanas e os meses se têm atropelado uns atrás dos outros. Parece que anda tudo a competir para ver o que passa mais depressa e quando dou por mim parece que fui abalroada pelo que (afinal) já passou. Nos últimos tempos tenho sentido muito isso. Ainda há dias fui pedida em casamento e afinal, já passou um ano, já casei, já fui de lua-de-mel e já estou casada há mais de três meses. Ainda há pouco tempo embarquei na maior aventura da minha vida e mudei-me para outra cidade para estudar e já estou (finalmente!) a trabalhar (embora ainda não na minha área). E já tanta mas tanta coisa aconteceu...! Ainda ontem terminei o mestrado ou comecei o estágio na Ordem e já tudo terminou (finalmente!) - afinal são já mais de sete anos! 


Isto tudo, não porque não nos custe a passar as situações, enfrentar os obstáculos, dar a volta aos imprevistos e (re)inventar soluções mas parece que, terminadas as coisas, o tempo até passou por nós a voar. Claro que também é mais fácil falar assim ou pensar nisto desta forma quando as coisas já foram ultrapassadas (principalmente no que diga respeito às mais duras), mas não deixa de ser um pouco assustador dar-mo-nos conta da velocidade a que o tempo passa por nós, sem que possamos fazer grande coisa quanto a isso. Afinal, temos trabalho, temos de cozinhar, tratar da casa, dormir e o que é que nos resta de tempo útil? Que poder temos nós sobre o tempo?! 
Até parece brincadeira falar disto porque não temos qualquer poder sobre o tempo, a única coisa que nos resta é tentarmos fazer com ele o melhor que conseguirmos dentro de todas as limitações e circunstâncias que possamos ter, não deixando de fazer, nem que sejam pequenas coisas que nos façam felizes, por mais simples que sejam, sempre que nos seja possível. Porque muitas vezes temos objectivos e sonhos gigantes, que nos sugam o foco e, muitas vezes, as forças, o empenho, o tempo e a dedicação e quando damos por nós não fazemos (mais) nada da nossa vida. Essa é uma vida muito limitada. E a gestão não é fácil entre objectivos de vida, pretensões, circunstâncias, o que nos faz feliz, tempo e concretizações.
O que é que aprenderam com o passar do tempo por vós? Têm conselhos para uma gestão mais eficaz e eficiente?

2 comentários:

  1. Esta questão do tempo tem muito que se lhe diga. Eu aprendi que se queremos fazer algo, não ter tempo é apenas uma desculpa. Quando andava na faculdade achava que não tinha tempo para nada, mas na verdade agora percebo é que não geria bem o meu tempo. Depois comecei a trabalhar, e as rotinas mudam brutalmente. Aí sim não tinha tempo para nada, só o fds e mesmo assim às vezes trabalhava. Agora que ainda lhe juntei o ginásio quase diariamente chego à conclusão que o tempo é o que fazemos dele. :)

    ResponderEliminar
  2. O tempo passa assustadoramente rápido! Mas eu também admito que podia gerir melhor o meu tempo... É uma aprendizagem em curso!

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!