domingo, 11 de fevereiro de 2018

Filhos


Sempre disse que não queria ter filhos. Mais que isso, sempre achei que não tinha capacidade para ser mãe, nem condições, por isso não queria ter filhos. Não sei são coisas da minha cabeça... Tive conversas infindáveis com o meu marido quando ainda éramos namorados sobre isso. Sempre fomos muito honestos em relação a tudo e muito francos um com o outro, sem reservas, sem segredos ou omissões em relação a nada. Mais que isso, partilhamos opiniões e estamos de acordo, caso contrário nada faria sentido estarmos juntos. 


Mas eu sinto que de há uns meses para cá me sinto diferente em relação a não querer ter filhos. Não sei se é o boom de grávidas e bebés por todo o lado que está a mexer comigo, se é por sempre ter tido como calcanhar de Aquiles nesta questão o facto de imaginar o homem da minha vida com um bebé e saber que ele se deliciaria porque tem uma ternura incrível por bebés ou se é por estar a ver os anos passar e saber que, sendo o meu marido mais velho que eu, não faz sentido para nós, a ter filhos, tê-los muito tarde (ser pais "velhos") ou se é saber que, a ter filhos, queremos ter mais que um e isso obriga a que tenhamos de começar a fazer por isso cedo...

Não sei, muito francamente, se será algo só passageiro, se é sugestão ou não. Mas ultimamente tenho pensado em ter filhos. E não sei a que conclusão chegar quanto a isso. Confio que se for para sermos pais e termos filhos como desejamos, eles virão. Mas já estou a escrever "termos filhos como desejamos" quando sempre disse que não teria filhos!!! 
Sendo franca comigo mesma, sempre disse que não sabia se queria ser mãe/ter filhos mas ao mesmo tempo sempre disse que não gostaria de ter só um (se tivesse) e outras coisas que tais, o que já dá a entender que ponderava isso. Nunca fui verdadeiramente radical quanto a isso...


Só não quero que "ter filhos" seja o "passo seguinte" e que venham porque sem eles não faria sentido para nós porque essa nunca foi a nossa linha de pensamento. A mim basta-me o meu marido, o homem que é o melhor presente que Deus me deu. Não nos casámos para ter filhos. Quando decidimos casar falámos tanto sobre isto! Porque eu nunca quis casar para que isso depois acontecesse, quisemos casar para viver a vida toda juntos, um com o outro, eu e ele. E isso basta-nos. Foi só por isso que casámos. Às vezes acho que esta ideia do "casar para ter filhos" não fazer sentido é só uma mania que eu própria criei dentro da minha cabeça e que por teimosia ou casmurrice quero defender quando não há necessidade nenhuma disso... Mas sempre me provocou alguma estranheza as pessoas que casavam e logo a seguir eram pais, depois de imenso tempo juntos (antes de casar), por exemplo. Acho que se deve também desfrutar do "casamento" se ele tiver acontecido, porque isso significa que tem significado para os dois.
Isto tudo para dizer que não quero que esta "vontade" de ter filhos seja consequência de ser "o passo seguinte" a conhecer-se, namorar e casar.

De cada vez que o imagino com um bebé, de cada vez que penso em mim grávida de um filho nosso, não sei...há algo que está diferente.

14 comentários:

  1. Citando o que dizes:
    "Quando decidimos casar falámos tanto sobre isto! Porque eu nunca quis casar para que isso depois acontecesse, quisemos casar para viver a vida toda juntos, um com o outro, eu e ele. E isso basta-nos."

    Eu também era assim... Não sou mais... Os meus filhos são algo tão meu e da minha mulher que fazem parte de nós... O "Eu e Ela" neste momento somos "Nós", e tudo ficou diferente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu acho que ter filhos deve ser só a coisa mais maravilhosa do mundo, sem dúvida - para cada um dos pais e para o casal/relação.

      Só ainda não decidimos se está realmente nos nossos planos. Vamos dar tempo ao tempo para já.

      Bjs

      Eliminar
  2. Pode ser o teu relógio biológico a despertar :)
    pessoalmente sempre quis ser mãe, mas sempre disse que quando casasse, iria aproveitar bem os primeiros tempos e só depois pensaria em ter filhos. Ao terceiro ano de casamento decidimos dar esse grande passo. Muda muita coisa na vida de uma pessoa e na relação. Não podemos negar isso. Acho que tem de ser algo que se quer muito. Os dois!
    Mas nem todos os casais têm de ser pais. Compete a vocês avaliarem se querem ou não dar esse (enorme) passo na vossa vida. No meu caso, estou grávida do segundo, porque sempre disse que não queria um filho só. Sou filha única e nunca quis sê-lo, por isso achamos que seria agora o momento ideal para aumentar a família. É um amor difícil de explicar, com todos os seus bons e maus momentos. A maternidade não é apenas o mundo cor de rosa que falam, também tem os seus "quês". É preciso avaliar e pesar bem os dois lados da balança. Um grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente por saber que é talvez o maior desafio de uma vida e de uma relação ou casamento é que não sei se o quero para mim. Mas obviamente que enquanto tiver dúvidas é sinal que não há uma decisão tomada xD
      Vamos ver...para já só nos resta esperar que o tempo decida o que irá acontecer a seguir. Ainda temos alguns planos para cumprir antes de ter filhos.
      Obrigada e parabéns!!! Beijinhos

      Eliminar
  3. "Mas sempre me provocou alguma estranheza as pessoas que casavam e logo a seguir eram pais, depois de imenso tempo juntos (antes de casar), por exemplo".

    Percebo o que queres dizer, mas tenho uma visão diferente. Para mim, p.e., só faz sentido nós os dois termos filhos depois de casados. Pode ser uma visão antiquada das coisas mas, se pensamos casar, não queremos meter "o carro à frente dos bois" e alterar a ordem natural das coisas, digamos assim. Quero viver com o meu namorado antes de casarmos, já de si é alterar os passos normais, mas filhos só depois de casar. É uma opinião pessoal nossa, não quero dizer que acho errado ter filhos antes. Apenas para nós só faz sentido assim, tendo em conta a nossa vida atual e a forma como imaginamos a nossa vida futura.

    Percebo a questão de aproveitar o casamento antes dos filhos, daquele tempo só a dois. A questão é que há casais que namoram muito tempo antes de casar, portanto já aproveitaram esse tempo antes, durante o namoro. Falo por mim, que namoro quase há 11 anos. Quando (se) casar, já terei aproveitado muito o tempo só com ele, portanto não me parece que ter filhos logo a seguir seja não aproveitar a vida a dois. Até porque, como já disse acima, quero ir viver com ele antes. E mais, namorando há tantos anos, há imensos sonhos e planos que já estão a ser projetados e imaginados há tanto tempo que, tendo essa oportunidade, queremos pô-los logo em prática. Gostaria de viver só eu e ele antes de termos filhos durante algum tempo, apenas por essa perspetiva de saber como é estar só com aquela pessoa, aproveitar os primeiros tempos só os dois, na nossa casa, com a nossa vida. Mas assim que possa, quero ter filhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo e sou da mesma opinião. Quando se quer casar, faz "mais" sentido (para mim!) fazê-lo antes de termos filhos do que o contrário.
      Mas faz-me alguma confusão reduzir o casamento ao "necessário para ter filhos", entendes?! :P é uma coisa parva e obviamente tremendamente pessoal mas que me faz alguma confusão. Há pessoas que "só casam" "para ter filhos" e isso para mim não traduz o "casamento".

      Eliminar
    2. Nisso concordo. Se o objetivo é casar porque se quer ter filhos, torna-se diferente. Eu quero casar porque quero oficializar a relação, assumir o compromisso de viver a vida toda com a pessoa que escolhi. Não quero casar porque é preciso fazer isso antes de ter filhos. Percebo o que queres dizer. É diferente. A verdade é que ainda há muita gente que casa só porque é o suposto e não porque quer realmente. Parece que é uma espécie de obrigação natural da vida porque toda a gente casa e tem filhos. Não deveria ser assim. As pessoas deveriam casar ou ter filhos se assim desejam e não por pressão da sociedade ou porque é assim que deve ser.

      Eliminar
    3. Precisamente! Aí é que bate o ponto. As pessoas devem fazer o que sentem que faz sentido para elas, não porque "está na altura" ou "todos o fazem" que aí dá logo asneira! Beijinhos e obrigada pela partilha :)

      Eliminar
  4. Não crescemos todos com o bichinho da maternidade mas pode ser o teu relógio biológico a chamar por ti :) Claro que ter filhos não tem de ser o próximo passo, é uma decisão, uma vontade, sem pressão do que os outros possam achar que faça sentido.
    Sejam felizes :)

    ResponderEliminar
  5. Eu também dizia que não queria ter filhos, mas o meu relógio biológico deve ter acordado para a vida e hoje o meu filho é a melhor coisa que eu tenho/temos. Se seria feliz sem filhos? Não tenho a menor dúvidas que sim, nem todos nascemos para o mesmo, se esta vontade de ter filhos não tivesse aparecido teria sido igualmente feliz apenas com o meu marido.
    E acho que essas dúvidas são bastantes normais, dou-te o meu exemplo, quando comecei a ter dúvidas e medos sobre essas questões é que me senti preparada para avançar. Antes dizia sempre que não, que não queria ser mãe, nem matava a minha cabeça com estas questões, quando comecei a ponderar as dúvidas e medos começaram a aparecer e aí sim, é sinal que queria mesmo ser mãe. É normal ter receios, é sinal que somos pessoas conscientes e ponderadas. Na maternidade surge sempre novas dúvidas, novos medos em cada etapa, é um sentimento que não nos larga, e acho que é bom sinal!
    Seja qual for a vossa decisão, o importante é estarem de acordo e serem felizes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma amiga minha disse-me há dias a propósito deste assunto uma coisa tão bonita: "quando amor cresce tanto que transborda e deixa de caber em ti e na tua outra metade, surge a vontade de ter filhos. Isso é biológico e natural." Mas lá está, é muito muito pessoal.

      Eliminar
  6. Pensar sequer em ter filhos dá medo, um medo enooorrrme porque tudo pode correr bem ou não e esse não tem muito que se lhe diga.
    Tenho tantas amigas sem filhos por motivos diferentes e cada um sabe de si e das suas decisões.
    Eu sempre quis ter filhos, 5 filhos ou 2 no mínimo mas acabei só com 1. Um Grande Amor, o Único Amor Impossível de Descrever que existe.
    Fui mãe aos 40 anos (a 1 mês dos 41) e teria sido mãe outra vez se fosse vontade dos 2. Fui mãe tarde porque nunca calhou engravidar antes, de outra pessoa que não o meu companheiro de 10 anos. Ser mãe tarde também tem vantagens porque temos mais paciência, calma e outra forma de encarar a vida. Temos a vida mais estável. A idade, neste século, não deve ser assim um entrave tão grande mas temos de ter algumas coisas em atenção: se queremos mais de um filho não pudemos esperar, talvez nunca acompanhemos a vida dos nossos netos, pudemos não ter família de suporte para nos apoiar (nós temos os avós do D.).
    Da minha experiência de quase 5 anos não vejo mais nada a apontar em relação á idade. Bjs e boas decisões

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade! Gostei muito de te ler, obrigada pela partilha :)
      Tens razão, já achei isso mesmo: que podia perfeitamente ter filhos mais tarde se assim decidisse. Mas afinal agora já chamo a "desculpa" da idade ao assunto xD Acho que é só um pretexto que encontrei, no fundo :P mas realmente como, a ter, não queremos ter só um, temos de considerar isso também.
      Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelas tuas palavras!

Desafios e Sonhos

É curioso aperceber-mo-nos que a nossa disponibilidade financeira tem muita influência na forma como encaramos as coisas - se formos pesso...