Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Confissão

Eu amo sapatos.
Desde que me lembro que sou assim.

Como se fosse hoje recordo-me de ficar amuada o dia inteirinho, quando ainda não tinha mais altura que a das minhas pernas, mesmo com a minha indumentária de eleição se não gostasse do que levava nos pés.
Sempre fui uma embirrenta com o que calçava e não porque tenho o azar de ser uma daquelas pessoas a quem tudo faz ferida, doi ou magoa porque não tenho uns pezinhos hipersensíveis mas sim porque sempre dei uma enorme importância ao calçado que arrastava. Mas é que ficava mesmo carrancuda o dia todo!

Fui menina para passar um ano inteirinho sem comprar um único par de calças e ter contado uns bons pares de sapatos ao invés! Acho que se podem usar sempre as mesmas roupas e mudando os sapatos mudamos de cara, de estilo, de espírito e ninguém dá conta que são as mesmas calças, o mesmo vestido que envergámos. Para mim, os sapatos mudam tudo!

Hoje, o resultado está à vista.
Sou bem capaz de entrar em lojas sem tirar os olhos do chão e nem olhar para a roupa porque ...sou doida mesmo!

Para mim, mais um par, NUNCA é demais e há poucas coisas que me fazem tão feliz!

Desde o último ano que me vi obrigada a reduzir o meu uso de saltos que são os meus predilectos desde há muito precisamente porque tenho muito amor aos meus queridos sapatinhos.
É impossível andar nas ruas de Lisboa sem dar cabo do salto e torná-los numa lástima.
E na Madeira os pavimentos não são melhores mas...são diferentes!

Se calhar é do hábito, mas não me arrisco a estragar os meus belos e estimados sapatos de salto nas calçadas desta cidade. E bem andei eu, alguns anos, em calçadas bem agrestes da minha terra.
Enfim... nasci madeirense e não lisboeta!

Até há bem pouco tempo tinha apenas UM par de sabrinas pretas (que me parece que toda a gente tem), com já mais de 2 anos que quase nunca tiveram uso... agora, descobri o gosto pelos rasos. Mas fazem doer-me as pernas e matam-me os calcanhares...
Ainda estou a tentar encontrar a solução (leia-se sapato) ideal.

Por ora, cultivo ainda a minha paixão pelo calçado e expando os meus gostos...





2 comentários:

  1. Olá Dani, estive a ver o teu blog e não poderia deixar de comentar aqui, no post que nos une... o amor pelos sapatos. E a história das sabrinas estou como tu, só que quando chego ao trabalho troco sempre pelos saltos altos. Tenho pena de não termos passeios como os de NYC, cimento lisinho, uma maravilha para os saltos. Bjs***

    ResponderEliminar
  2. Quem me dera! Isso seria bom demais! Eu nem tenho essa oportunidade, a única opção é mesmo reduzir o uso infelizmente. Mas é por uma boa causa. Obrigada pelo comentário!
    Beijo

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!