Pesquisar neste blogue

domingo, 26 de junho de 2011

Um sábado que soube a pouco


Ontem ele veio ter comigo deviam ser perto das 19h e ficámos por casa, fizemos jantar e comemos cá.
Fomos ter com os nossos amigos já passava das 23h, para sairmos. 
Acabámos por ir para um bar simpático junto ao restaurante onde eles tinham jantado e por lá ficámos até às duas entre muita gargalhada e conversa de café bem divertidos e em óptimo ambiente.
Saímos de lá às 2h e ainda ficámos na rua no paleio um bocado. Depois fomos todos para casa, decidimos deixar a saída para outra noite. Eu pessoalmente já estava mais a querer a minha cama do que outra coisa e tinha perdido o espírito por isso fiquei satisfeita por termos todos decidido assim.
O G. veio trazer-me mas ainda ficámos quase uma hora na conversa ou só encostadinhos um ao outro em silêncio para "ouvir" o que sentíamos ali nos braços um do outro... mas já era tão tarde e como queríamos fazer algo hoje não podíamos deitar-nos nem àquela hora quanto mais mais tarde.
Lá nos conseguimos despedir e fomos para casa descansar (já eram 4h). 


Hoje está previsto um dia lá para os lados dele, ainda não lá fui e a cidade dele (essa conheço embora já lá tenha ido há muito) é LINDA! Vamos ver como correm os planos e logo vos conto.


Ontem apesar de ainda termos passado algumas horas juntos até a sós, soube-me (especialmente) a pouco - sabe sempre a pouco o tempo passado com ele quando tenho de me ir embora, quero sempre mais e se pudesse não descolava do lado dele o dia todo...
Deixámos de ir jantar com os nossos amigos para podermos estar juntos mais tempo os dois, sozinhos mas, mesmo assim, desde as 19h, ou algo assim, juntos pareceu tão pouquinho...
Depois, já com eles, estivemos juntos, mas "afastados", como costumamos dizer. Não é a mesma coisa !? Ainda para mais nós não somos namorados (oficialmente). Apesar de sentir isto e de querer muito estar mais tempo com ele, quis vir-me embora "logo" (embora tenhamos demorado 2h) para casa para ainda conseguirmos descansar pois perdemos o dia ao deitar-mo-nos tão tarde.
É sempre um dilema entre o "ter de" e o "querer"!

3 comentários:

  1. oh querida, como eu te entendo! eles chegam de mansinho, vão abrindo caminho e quando damos conta, roubaram o nosso coração...também estou assim numa relação como a tua e custa tanto a despedida..só apetece mandar o tempo parar e ficar ali enroscadinha com ele até fartar..e também vou estar longe dele durante bastante tempo..:/ aiai, se for o mesmo caso, férias nem sempre trazem só coisas agradáveis!

    ResponderEliminar
  2. ah gosto imenso do teu blog, parabéns :)

    ResponderEliminar
  3. Ora nem mais, é bem vdd Jane :/
    Pois que já se imagina como é :s
    Beijinhos e obrigada

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!