Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Secondo Giorno a Roma

No sábado fomos a pé até à estação de metro a que nos tinha ido buscar o amigo da I. no dia anterior. Chovia e levámos perto de uma hora, se não mais. Mas fomos vendo, pelo caminho, lojas, locais, ruas,…

Pietá

Quando finalmente apanhámos metro fomos para CIPRO onde está o MUSEU DO VATICANO. Ainda andámos um bocado a pé até lá chegarmos, o metro não é assim tão próximo ou então nós é que não percebemos nada. Quando lá chegámos estava cheio de turistas, a fila para entrar devia dar a volta ao edifício e, assim, deixámos de parte a intenção ou ideia sequer de tentar entrar e visitá-lo - fica para a próxima visita. Seguimos caminho. Andámos por ruas bem simpáticas, típicas e engraçadas, sempre a pé ainda durante algum tempo. Passámos por uma feira com imensa coisa numa praça, algures perdidos entre o Museu e a Praça São Pedro...

Basílica de San Pietro - Vaticano

Finalmente demos com a BASÍLICA DE SÃO PEDRO (onde perdemos algum tempo, estivemos na CIDADE DO VATICANO (constatei que era um bocado ignorante pois acreditava que fosse muito mais que aquilo em termos de dimensões).  A BASÍLICA é fantástica, tudo aquilo é impressionante. Não subimos à CÚPULA porque é paga e não nos interessou lá muito, agora já sei que tem uma vista sobre toda a cidade que vale a pena conhecer, por isso, é mais uma para a próxima visita. Muitas fotos, paragens, a absorver cada bocadinho de tudo aquilo que os nossos olhos conseguiam alcançar - era tudo fascinante.


Depois caminhámos, avistámos o rio TEVERE (Tibre), as pontes que o atravessam (tirei imensas fotos) e passámos pelo CASTELO DE SANT’ANGELO, encontrámos, mais à frente, um carrossel, uma pequena feira, o PALÁCIO DA JUSTIÇA. Horas a passear, tirar fotos, a maravilhar-se com tudo e cada coisa!
Rio TIBRE e CASTELO SANT'ANGELO

Mais tarde chegámos à praça NAVONA que me tinham indicado como local onde se poderia comer a um preço acessível. A verdade é que é uma zona tão cheia de turistas como de restaurantes e por isso há alguma margem de escolha. Nós primeiro passeámos, procurámos um restaurante que me tinha indicado o meu afilhado mas não encontrámos então decidimos procurar um acessível. 

Nestas zonas mais turísticas e movimentadas, os comerciantes aproveitam e cobram uma “taxa de serviço” que, basicamente, paga o atendimento que o funcionário faz à mesa aos clientes e coisas como as toalhas de mesa, os guardanapos, copos, talheres – a meu ver algo completamente ridículo mas que se pode fazer?! Não são todos os locais que cobram estas taxas, os que não cobram, no entanto, têm um acréscimo nos preços de cada prato de cerca de 1€/2€…enfim, vai dar tudo ao mesmo feitas as contas. Nós optámos por um que não cobrava este “serviço” e comemos numa das transversais da praça (mais afastado portanto) chamado BIBAMUS. Comemos uma bruschetta, uma pizza e uma água e pagámos 14€. Não comemos muito mas como passámos a maior parte do dia de estômago vazio ficámos cheios e até um pouco mal dispostos (provavelmente por termos saltado refeições e optado por “comida de plástico” o dia todo).


Depois de jantarmos estivemos sentados na praça, só a observar todo o movimento e dinamismo que se gerava ali. As luzes, as pessoas, as vozes, o ambiente. Já era escuro… A I. não estava em Roma desde a tarde de sexta, ainda não a tínhamos visto, portanto. Entretanto tinha-nos dito que chegaria a Roma por volta das 22/22.30h e ia ter connosco, nada em concreto.
Panteon

Por acaso vimos num daqueles mapas da cidade (porque nós não tínhamos um) que estávamos perto do PANTEÃO e decidimos tentar encontra-lo já que ainda não tínhamos notícias da I. e não sabíamos que fazer entretanto.
Lá o descobrimos e conhecemo-lo à noite, mágico. Lindo! Estivemos ainda algum tempo por lá, na praça em frente ao PANTEON – havia gente, estava animado, cantavam e tocavam (dois senhores) e um mimo até.

Pormenor da fonte em frente ao Panteão

Quando a I. nos ligou já passava das 22.30h e disse que, como estavam cansados (ela e o namorado) nos passavam a apanhar no centro de Roma (já que a casa dela é ainda longe) e íamos todos descansar – também nós já queríamos era cama depois daquele dia preenchido.
Esperámos por ela junto à TORRE ARGENTINA. Ainda nos fez ver, de carro, um miradouro de onde se avista a cidade toda (lindíssimo) e deixou-nos em sua casa (dormiu na casa do namorado) rondava a meia-noite…

P.s. Fotos da minha autoria (com excepção da primeira). Agradeço que, se as quiserem usar, perguntem primeiro!

2 comentários:

  1. É engraçado ler-te e relembrar-me que também nós passamos por aí :)

    ResponderEliminar
  2. OH que giro, estive em Roma o ano passado e tive nestes sítios todos... Que saudades que me deu, mas foi bom recordar! Beijinho

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!