Pesquisar neste blogue

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Eu que não gosto de futebol

...e que não apoio a posição deste desporto que se alimenta nas sociedades latinas (e na nossa em particular) em detrimento de tantas outras coisas muito mais importantes, hoje permito-me pronunciar sobre o que aconteceu ontem. 


Ontem a grande festa do futebol foi dos portugueses. A homenagem a Eusébio e a merecida vitória de Ronaldo. Também em português, desta vez do Brasil, foi pelas mãos de Pelé que a Bola de Ouro foi entregue ao madeirense vencedor. E isso, calculo eu que não percebo nada de futebol, deve ter contado muito. Uma imagem bonita de se ver. Foi um encontro de gerações vencedoras. Igualmente bonito foi ver o super homem do futebol ser humano: estava tão emocionado que mal conseguiu falar. Além da inegável ligação e sintonia família-namorada que estavam tão emocionados quanto o campeão. 
Mostrou ter crescido muito desde a primeira bola de ouro, mais maduro, mais homem, mais pai, que é um furacão mas não dispensa a humildade que o caracteriza e que preza aqueles que estão à sua volta e fazem parte da sua vida. E discursou, claro, em português!
Não esquecer que Cristiano Ronaldo foi o melhor marcador de 2013, com 69 golos marcados (grande recorde).

Oxalá seja exemplo para muitos, nas coisas boas (que são muito mais que as más!), claro!
A sua atitude espelhou a importância que aquele prémio teve para ele e foi mais do que merecido. Está de parabéns pela conquista, esforço e dedicação. No futebol e não só, com ou sem prémios, que assim continues, Ronaldo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!