Pesquisar neste blogue

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Decisions, decisions

Há uma semana era o meu último dia de trabalho naquele escritório. Apesar de tudo o que possa acontecer, sem dúvida que me parece ter sido a melhor opção e a única coisa que podia fazer. 

Desde então já muita coisa aconteceu. 


Na sexta-feira ligou-me um professor a convidar-me para um estágio que mudaria todo o meu plano. É uma oportunidade de estágio, para fazer relatório de estágio no lugar da tese, que implica alterar o meu tema para adaptá-lo à instituição que me receberia, implica estar em estágio por cerca de 5 meses e estar lá presente...basicamente muda-me todo o figurino em relação ao que aconteceria com a tese. Esta oferta veio alterar toda a configuração que tinha estabelecido há pouquíssimo tempo - fazer a tese e as aulas da OA até Fevereiro/Março. 

Se por um lado ainda não tenho quase nada feito da tese e a mudança para algo totalmente diferente agora não fizesse assim tanta diferença, por outro não me sinto confortável em estar sempre a mudar de planos, a pensar fazer uma coisa hoje e daqui a pouco já outra completamente inversa...não é bom estar sempre a mudar de ideias, embora também ache que não deva sentir-me obrigada a ficar com o tema que escolhi só porque já o escolhi... E já tinha estabelecido as minhas prioridades a curto/médio prazo: fazer a tese e a OA nos próximos 6 meses.


A questão é que eu não tenho como fazer a OA porque não tenho patrono para tal. Se tivesse, esta oferta, apesar de aliciante seria mais fácil de recusar porque implica obrigatoriamente uma prorrogação do prazo de entrega e consequente pagamento de mais um semestre não letivo. Em vez de entregar em Fevereiro, teria de entrega em Julho porque, já estando em Outubro, é muito em cima da hora para esta mudança.


A verdade é que queria mesmo poder fazer as aulas da OA e despachar a parte não letiva até Fevereiro ou Março mas se não puder fazê-lo, a proposta que me foi feita é aliciante. A instituição em causa é muito interessante, o trabalho que poderia desenvolver também e pode considerar-se uma boa oportunidade para o futuro (embora nada garantindo). 

Além do mais, inicialmente tinha pensado fazer relatório de estágio em vez de tese (que é uma das alternativas inovadoras da minha faculdade) porque permitir-me-ia ter contacto com a realidade prática de uma organização e pareceu-me uma ótima solução (já que me daria outra bagagem e um conhecimento mais completo e profundo). Na altura informei-me mas nenhuma das instituições com as quais a faculdade estabelecera protocolos me pareceram interessantes tendo em conta as áreas e existem requisitos muito estritos de aceitação de novos protocolos, com outras entidades que não aquelas. Acontece que este protocolo surgiu em Setembro, agora mesmo há pouco tempo e fui contactada por um professor que me deu aulas no semestre passado e que trabalha na tal instituição.

Ontem disse ao professor que estaria interessada, estava praticamente decidida a fazer estágio quando o G. me ligou a dizer que até ao final do dia o seu conhecido (a minha esperança na possibilidade de ter patrono para a OA) me diria alguma coisa...claro que voltei à estaca zero. Isto depois de ter passado o fim-de-semana a pensar no assunto, depois de muito ponderar e de ter tomado a decisão...afinal veio tudo por água abaixo. 

Tentei perceber junto do professor se haveria flexibilidade para frequentar as aulas no caso de conseguir mas não me pareceu que a ideia fosse vista com muito bons olhos. Fiquei a aguardar que me dissesse quando poderia ter uma reunião informal com o responsável e o professor para discutir o tema que eu poderia estudar na instituição do estágio.

Afinal não tive resposta de ninguém até ao final do dia de ontem nem até agora... Aguardemos pelas cenas dos próximos capítulos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!