Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Nem posso acreditar!

Era sábado mas ele tinha uma actuação com o seu grupo. Como era um encontro e não um evento privado eu podia assistir e por isso decidi acompanhá-lo. Celebrávamos meses de namoro nesse dia por isso, assim que nos despachássemos poderíamos ir passear e aproveitar o resto do sábado.

Era um evento numa casa com vários pisos, antiga mas com muito charme. Foi-nos feita uma pequena visita guiada e pudemos ver o pôr do sol do terraço que tinha vista sobre a cidade e o Tejo, alcançando-se a margem sul. A actuação correu bem, eu assisti e esperei por ele enquanto assistia às restantes apresentações. 

Entretanto estava acompanhada de uma amiga, também ela namorada de um dos elementos, que veio ter connosco depois de saírem de palco e me entregou um cartão. Disse-me que o meu homem lhe tinha pedido para mo entregar e que era para eu ir ter com ele, que ele queria falar comigo mas estava com outro dos elementos, noutra parte da casa. Estranhei mas lá fui eu. Quando encontrei o tal rapaz ele estava sozinho. Entregou-me mais um cartão e disse-me que subisse, que o meu homem estaria com outro amigo no andar de cima. Assim fiz mas mais uma vez recebi um cartão e instruções para que subisse porque ele estaria mais acima... Tive de subir os andares todos, às escuras e sozinha, à procura do meu homem até que fui dar ao terraço e lá estava ele com mais uns cartões que me deu e pediu que ordenasse para poder ler a mensagem. "És a mulher da minha vida" diziam os cartões. Eu agradeci-lhe e abracei-o. 

Ele sorriu nervoso, olhou-me apreensivo e disse-me: "As coisas nem sempre correm como planeamos... Mas quero que saibas que és muito importante para mim." Ajoelhou-se e continuou "E por isso...quero te perguntar... - tirou do bolso uma caixinha vermelha - ...Se aceitas ser a mulher da minha vida. Queres casar comigo?"
Eu não podia acreditar e só lhe perguntava "Estás a brincar? Oh G... estás a falar a sério?". 
- "Queres casar comigo?" insistiu.
- Claro! respondi.
- "Mas aceitas casar comigo?"
- Sim! reforcei.


Ele levantou-se abraçou-me e deu-me um beijo e todos os seus colegas se juntaram a nós naquele terraço às escuras. Lembrei-me de tentar ligar a luz, fomos tentar perceber e lá consegui e tivemos uns candeeiros a meia luz, naquele terraço sobre toda a nossa Lisboa como pano de fundo da dedicatória que me fez, ao cantar para mim, ajoelhado ainda à minha frente e acompanhado pelo grupo que tanto faz parte da nossa história.
Eu só me ria, estava radiante mas não queria acreditar que estava mesmo a acontecer, que tinha mesmo acontecido. 

Despedimo-nos do grupo depois dele me ter cantado aquela música e de terminarem as apresentações daquela matiné e saímos. Fomos jantar fora e passear pelas ruas da capital. Passei o resto do dia de sábado meio que anestesiada, quase sem perceber muito bem o que é que tudo aquilo significava. Passaram-se mil pensamentos pela minha cabeça e um turbilhão de sensações. Estava muito feliz mas não sabia o que esperar de tudo o que temos pela frente. Ele estava nas nuvens, estava nitidamente feliz e aliviado.

A minha reacção foi meia apática. É claro que nós já tínhamos falado sobre nos casarmos, era algo que ambos desejávamos e com que por vezes sonhávamos mas não estamos numa situação muito favorável a termos essa despesa e esse era o nosso impeditivo. Isso e a falta do pedido, é claro (embora ele me dissesse frequentemente "quando casarmos, se me aceitares como teu marido..." e ser mais do que claro que era a nossa vontade). Mas não estava à espera que acontecesse já, embora seja algo que quisesse muito. Quanto a toda a surpresa, ao início estranhei mas pensei que ele o estivesse a fazer pelo nosso aniversário. Ele normalmente dedica-me sempre alguma música quando vai a palco mas naquela tarde não o tinha feito. Eu folguei porque me poupara o embaraço do costume mas não deixei de estranhar, ainda mais sendo o nosso dia. Quando recebi o primeiro cartão pensei que estava explicada a ausência de dedicatória em palco.

Eu estive quase para não ir àquela actuação porque nos tínhamos atrasado e eu estava ainda por arranjar à hora que ele deveria apanhar um dos rapazes. Estava naqueles dias em que nada corria bem quanto à escolha da roupa e tudo parecia atropelar-se, ainda nem tinha comido, enfim. Cheguei mesmo a dizer-lhe para ele ir embora e não se atrasar mais. Ele primeiro disse que esperava mais um pouco, depois quando eu estava quase despachada, disse-me que tinha mesmo de ir. Eu disse-lhe que fosse mas ele não saiu logo. Como isso aconteceu eu disse-lhe "Só me falta comer" e levei a comida e sai à pressa com ele. 
Pelo que me contou já desde o Verão que tinha o anel comprado e o queria fazer mas ainda não tinha tido oportunidade para isso, queria que fosse especial mas não conseguiu fazê-lo nas nossas férias pois nunca estivemos sozinhos e desde então que as coisas se têm sucedido sem nenhum "momento especial" que o permitisse (segundo ele).


Ontem quando acordei é que me perguntei "Mas é mesmo verdade? Será que não passou de um sonho?". Agarrei-me a ele e disse-lhe "Vamos mesmo casar?
- "Vamos, minha coisa boa! É mesmo verdade.
Acho que ainda não cai bem em mim. Ainda não contámos a ninguém da nossa família, além da minha irmã. Queremos que o saibam de forma especial então quando tivermos oportunidade de o fazer, pessoalmente assim o faremos. Os nossos amigos também ainda não sabem, queremos juntá-los para lhes contar pessoalmente, àqueles que for possível, é claro. Só quem estava presente naquela noite, a minha irmã e o casal italiano nosso amigo sabem por enquanto.

Esta é a melhor novidade de que tenho memória! E eu não podia ser mais feliz ao lado daquele homem que, sorte a minha, me quer para sempre na sua vida. Estamos noivos!

9 comentários:

  1. Muitos parabéns!!! E que romântico, o teu rapaz :P

    ResponderEliminar
  2. Muitos parabéns aos dois. Que sejam muito felizes!!!

    ResponderEliminar
  3. Que bonito!!! Parabéns! Tenho a certeza que serão muito felizes! Aguardo ansiosamente posts sobre o casório :)

    ResponderEliminar
  4. Que lindo! Tens muita sorte em tê-lo contigo :) quem me dera que o meu namorado me pedisse em casamento, mas infelizmente, acho que esse dia nunca vai acontecer.

    ResponderEliminar
  5. Que lindo!!! Tinha andado um pouco para baixo, pra ver se encontrava... mas não cheguei a 30 de novembro. É mesmo lindo. Muitos parabéns outra vez. Espero que continuem a ser felizes! Um beijinho!

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!