Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A semana passada em casa


No final de contas, num apanhado geral, fez-me muito bem [mesmo querendo vir embora e estar a morrer de saudades do G. que já tanta falta me fez]! 
Estive perto da família, estive com pessoas importantes, fiz escalada, fui a cafés e passeei.
Os meus primos e tio chegaram de viagem no dia antes de me vir embora mas ainda deu para estar, mesmo pouco tempo, com eles e matar saudades. Recebi prendas! Umas MELISSA e uns biquinis! Fiquei muito feliz.
Aqueceu-me o coração estar em casa, perto da família.
Estive com a minha avó, tios e primas recordando memórias antigas.
Visitei a Feira Medieval da minha cidade. 
Voltei à minha antiga escola de música e revi colegas mas, principalmente os meus professores de quem já sinto tanta falta e já não via há algum tempo e a vontade de voltar acordou dentro de mim.
Estive com o N, na segunda, na quarta, na quinta e na sexta.
Segunda estivemos sós, na quarta, dia da criança levámos o P. e as nossas duas irmãs (S. e C.) e fomos passear e tirar fotos e tudo mais. Na quinta o P. desafiou-me para a escalada e o N. foi lá ter connosco e levou-me a lanchar. Na sexta fomos à Feira com o primo dele e a minha irmã andava lá connosco; ainda conseguimos ir ao café com o Ne. e um amigo dele que tem carta de aviões e namora, por coincidência, com uma amiga minha a D. com quem, infelizmente, já não falo há algum tempo. Ficou prometido um passeio de avioneta no Verão (os quatro, os namorados, eu e o Ne.). Os meus dias eram passados em casa a estudar e ao fim da tarde ele vinha ter comigo para eu sair um bocado.
Logo no primeiro dia quis esclarecer e deixar bem claro que não íamos ter nada um com o outro e ele foi-me dizendo, com o passar dos dias, que estava a apaixonar-se por mim. Fiz questão de lhe lembrar que estarei sempre disposta a ajudar, no que for preciso e não pretendo ir a lado nenhum, não vou deixar esta nossa recuperada amizade escapar novamente mas que não estou apaixonada por ele e que não iríamos ter nenhuma relação amorosa. Não o quero, de todo, magoar e não sei se não terei de me afastar um pouco para ele não se agarrar a um sentimento por mim.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!