Pesquisar neste blogue

sábado, 1 de outubro de 2011

Dor de coração

Ontem à tarde o G. perguntou-me se queria estar com ele.
Eu não tinha como recusar. Apesar de ter tomado a decisão de não estar com ele como namorado, não consigo deixar de sentir a sua falta e de querer estar com ele porque é-me muito importante e alguém especial... Não sei se será saudável mas temos a pretensão de continuar a ver-nos frequentemente e estarmos juntos. Eu já o alertei para o facto de ser "perigoso" para ele porque posso estar a magoá-lo como não estou com ele como namorada e ele me ama...mas ele diz que não sabe estar de outra forma e que estando comigo está melhor do que não me vendo ou isso.
Tentarei que as coisas não sejam como antes mas que continuemos a ver-nos e estar juntos. Eu sinto-me bem com ele. O problema sou mesmo eu, no meu interior, que não me vejo a namorar com ninguém...não sei.


Então, ontem acabámos por estar juntos desde o fim da tarde (18.30h) até depois da 1h... Conversámos imenso, sobre coisas diversas, como sempre, muito bem. Ajudou-me, esteve do meu lado, preocupou-se...como só ele o faz por mim!
Saímos para dar sangue, foi a minha primeira vez e correu tudo bem. Estive durante todo o dia um pouco abatida, fruto do cansaço físico e psicológico da semana que passou... sem forças e um pouco "quieta" como é hábito nestas circunstâncias. Além de que estava com dores de barriga do período e dorida da semana e noite anterior (de tanto dançar). Ele já era dador.
Depois fomos comprar algumas coisas que eu precisava e fomos a um shopping de que gostamos muito e ele é que fez compras, acabámos por jantar por lá pois já era tarde. Tentamos ir para casa cedo porque hoje ele tinha de levantar-se cedo para ir pôr a irmã ao aeroporto (que foi de fim de semana). Acabámos por não ir assim tão cedo porque nos pusemos à conversa e não nos calávamos porque a conversa era boa...


Beijámo-nos. Desde segunda que isso não acontecia...não acho que seja bom e não pretendo que aconteça embora o queira. A verdade é que me sinto muito bem com ele e quando estou no seu abraço e ontem (hoje, estes dias) procurei-o (ao abraço dele) várias vezes porque sentia essa necessidade. Bem como o seu braço para me sentir mais segura...eu não sei explicar o que sinto, estas atitudes que tenho, não as consigo justificar ou compreender mas tenho-me deixado levar pelo que me diz o coração, simplesmente.
Perguntou-me se nos víamos hoje...
Acho que nos veremos.

4 comentários:

  1. Quem fuma sabe que faz mal, mas aquele prazer de mais um cigarro faz esquecer esses efeitos. Então, em vez de parar que custa, continuam a fumar, a viciar cada vez mais e a fazer ainda pior à saúde. O que vejo aqui é bastante parecido e a questão é quem sairá ainda mais magoado desta história: ele ou os dois =\

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente sei que tens toda a razão, que isso é verdade. Mas até que ponto é que estou melhor sem ele do que nesta situação em que, apesar de tudo, ainda o tenho por perto. Mesmo que só como amigo, como irmão ou como alguém único que não queria perder!

    ResponderEliminar
  3. Achas que ele está contigo como amigo ou irmão? Não é por ser rapaz, até qualquer rapariga vê isso. É claro que ele prefere estar contigo dizendo que não se importa dos termos porque, tal como referiste que aconteceu no fim da noite, haverá sempre a hipótese de se aproximar ou roubar um beijo. Para ele mais vale pouco que nada e acabam por aprofundar ainda mais o poço e quem sabe chegar a um ponto que ao afastar já não se verá alguém único.. Por vezes mais vale guardar belas fotografias do que aparecer nos mesmos sítios para se tentar viver aqueles momentos.

    ResponderEliminar
  4. Eu sei disso tudo, sei que ele não está comigo nessa condição de mero amigo ou de irmão, sei perfeitamente. Tal como tambem sei que se "aceita" é porque amar é assim, é querer mesmo que pouco, o que se puder ter. Sei também que isso pode ser um veneno mas nada do que sei me faz conseguir mudar o que sinto quando estou com ele ou o que me diz o coração quando quer ou se sente bem a estar ao seu lado. Sei que não é por isso que é bom ou sequer saudável mas neste momento não sei como agir de maneira diferente por pior pessoa que isso me faça ser.

    Sei também que há momentos em que as coisas têm de ter um ponto final para não estragarmos tudo o que de bom aconteceu, as boas recordações ou deitarmos tudo a perder. Sei perfeitamente. Aliás, foi por essa razão que achei melhor tomar a decisão de nos afastarmos e não continuarmos a ter a relação de namorados que tínhamos sem estarmos oficialmente a namorar. Exactamente por isso.

    Neste momento não tenho é mais forças para cortar relações com ele já por ser a pessoa que mais próxima de mim está e que me apoia e mais ajuda...mesmo que, por outro lado, possa ser uma causa ou contribuição da/para a minha confusão interior.

    :(

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!