Pesquisar neste blogue

domingo, 9 de outubro de 2011

A minha realidade


Desde que estou de volta à rotina de estudos ando com os euros todos contados até ao último. Não é nada fácil viver cá e ter de me sustentar sozinha como tenho feito desde o ano passado. Quando os meus pais não me podem mandar dinheiro nenhum porque senão, não vivem, não há outra opção. Desde cedo comecei a trabalhar nas férias de Verão e a tentar juntar o máximo, por muito pouco que fosse, que conseguisse para ter um pé de meia. No próximo semestre estarei em ERASMUS e este Verão que passou foi complicado para mim porque tentei ao máximo fazer todos os trabalhos que conseguia mas, ao mesmo tempo, tinha a carta para tirar em menos de dois meses e tinha de a aproveitar uma vez que era a altura que estava na minha terra mais tempo seguido e era viável tirar e que ma tinham oferecido. Desde o ano passado que os meus pais não têm despesas comigo a estudar, sou bolseira e tenho de fazer das tripas coração para me aguentar aqui com o dinheiro que recebo e ainda poupar algum ao fim do mês porque para sair do país para Itália tenho de ter algum de parte. Estou dependente da bolsa para me manter a estudar... Os inícios de ano lectivo são sempre muito aflitivos porque não sei se terei bolsa e qual o valor para poder organizar-me, além de que os resultados só são divulgados lá para Novembro e até lá não recebemos nada!!! 


Ando sempre com o coração nas mãos até saber alguma coisa e poder sossegar o espírito.
Os meus pais pagaram-me as compras de comida e coisas cá para casa antes de começarem as aulas que já foi uma grande ajuda mas, desde então, para livros (que na minha área são caríssimos e imensos), saídas, gastos com alguma peça de roupa necessária, comida, despesas de viver fora de casa, transportes, telefone, tudo...tem-me valido o dinheiro que consegui fazer nas férias a trabalhar - que este ano, infelizmente, teve de ser muito menos que o ano passado por ser insustentável tirar a carta e trabalhar mais do que trabalhei. Saídas são sempre pelo mínimo, comer fora de casa é raro e compras são um luxo que é sempre pelo preço mais baixo (sejam coisas para casa, compras de supermercado ou roupa, material escolar ou livros, fotocópias), jantares, aniversários e festas (além da da semana de praxe) são para esquecer mesmo.

Se custa? Custa! Mas não mata ninguém embora aflija...
Por exemplo, ontem recusei uma ida ao cinema com colegas meus de secundário, na sexta não fui a um jantar de aniversário porque não podia gastar aquele dinheiro a comer fora, fui ter com eles depois mas não gastei um único cêntimo (porque não podia mesmo), ontem o G. jantou durante o tempo que estávamos juntos mas eu fiz-lhe companhia ou enganei a fome porque não podia jantar fora de casa. Apaixonei-me por um casaco que me daria um jeitão para o inverno, na H&M (19,90€) mas não o posso comprar, é, neste momento, impensável.
Só rezo para que os resultados não demorem muito a sair porque é uma aflição, de verdade. Até porque tenho as propinas para pagar e tenho de entregar uma série de documentos para que se possa "adiar" o pagamento até o resultado da bolsa ser divulgado - burocracia - senão fico com a área de aluno bloqueada...enfim! É o país que temos!
Por tudo isto me sinto horrível quando não consigo fazer as cadeiras todas ou não sou tão boa aluna ou tenho tão boas notas como tantas outras pessoas ou como eu mesma gostaria. Sinto-me mal e custa-me horrores mas não sei bem como mudar isso embora esteja a tentar dar o meu melhor por isso, é frustrante não saber o que fazer para conseguir algo que só depende de nós mas não sabemos de que maneira...! 

Torna-se ainda mais duro de levar isto quando estamos rodeados de pessoas que não têm qualquer problema a nível financeiro (nadam em dinheiro e não estou a exagerar, tenho colegas que são filhos de altos cargos do Estado ou de famílias muito ricas/conhecidas) e não dão o mínimo valor ao que têm nem aproveitam nada, quase desprezam o que têm de mão beijada.... enquanto sei que há casos e situações mesmo muito piores que a minha, em que as pessoas se vêm obrigadas a desistir dos estudos porque se torna insustentável. É, mais que triste, revoltante...!
Gostava muito de não ter de estar constantemente a preocupar-me com dinheiro e depender de ajudas do Estado mas não tenho pais ricos e eles, mesmo que quisessem, não me conseguiam dar dinheiro porque o que têm mal dá para se aguentarem por lá e sei que a minha mãe faz tudo para conseguir dar-nos (a mim e à minha irmã) o máximo e ainda por algum de parte para alguma eventualidade... Não tenho nem como lhes pedir por isso, para mim, Verão e férias, serão sempre sinónimos de trabalho ao máximo para juntar tudo e mais algum que consiga para poder aliviar os meus pais dos encargos de ter uma filha no ensino universitário a 900km de casa e poder manter-me aqui, porque se não tivesse bolsa e algum dinheiro dos trabalhos que faço no Verão, não poderia estar na universidade neste momento. E para o ano vem a minha irmã que já está no 12º ano. Mas vai tudo correr bem, é nisso que tenho que acreditar.

5 comentários:

  1. Actualmente está muito complicado estudar na universidade, têm de se fazer imensos esforços!
    E as bolsas são uma vergonha, demoram imenso tempo a ser atribuidas!
    Eu também começei a trabalhar num part-time para ajudar os meus pais com as despesas da faculdade, mas depois começei a ter resultados menos bons na faculdade e deixei da trabalhar. Mas agora como já estou no mestrado quero ver se começo novament a trabalhar!
    Isto não está fácil para ninguém.

    ResponderEliminar
  2. Para que cidade de Itália vais ?

    Bacio B.

    ResponderEliminar
  3. Não conheço :x Mas se for tão bonito como Roma e Florença vais adorar! A língua Italiana não é muito difícil, vais adorar!

    Bacio B.

    ResponderEliminar
  4. Espero que sim, quero conhecer tudo! :D
    Eu adoro italiano, já tive aulas e para mim é a língua mais bonita do mundo!

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!