Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Em retrospectiva

2011 foi um ano de muita mudança, no fundo, constantes transformações, mutações... E tenho para mim que são/foram só o início e que em 2012 essas transformações terão continuidade. [Numa linha e meia consegui resumir a retrospectiva de 2011 e perspectiva de 2012.]


O ano, para mim, começou logo com uma decisão muito difícil de tomar e decisiva: terminar a minha relação de quase 3 anos com a pessoa que mais amei até hoje e que julguei ser o homem com quem passaria o resto dos meus dias. Custou-me horrores, não posso dizer menos que isso. Até agora estou em processo de "cura"... leva tempo, há-de levar sempre...

A situação familiar (a relação entre os meus pais) deteriorou-se, tornou-se insuportável e o que se passou desde então e até agora foi uma tentativa (de uma das partes apenas) de aguentar as pontas de algo que é já insustentável. A minha esperança é que 2012 nos dê força para ir para a frente com uma mudança que se tem demonstrado imprescindível, é eminente (pelo menos para mim) a necessidade de uma tomada de atitude, de uma posição que se leve até ao fim. Não sei como serão as coisas se não houver efectivamente uma mudança... Não prevejo nada de bom caso não haja mudança substancial. Por mais que assuste ou seja difícil... É a única hipótese. O ano passado por esta altura era eu a ter de fazê-lo, agora são eles.

Não consegui passar as cadeiras todas da faculdade, tenho ainda em atraso três. Mas cada época de exames é desafiante, uma tortura, no fundo para mim e ainda estou a tentar lidar com elas, procurando a melhor maneira de funcionarem (por tentativa-erro)... Mesmo assim, com tudo o que me aconteceu, considero até ter-me safado bem nos exames (e nas cadeiras que consegui fazer) tendo em conta as circunstâncias todas...
Esforcei-me, em 2011, por complementar a minha vida académica com outras experiências e estou muito satisfeita com isso - fiz um curso extra-curricular, um projecto com uma instituição de solidariedade, estive envolvida numa lista da faculdade, ajudo em catering na Reitoria quando há eventos, estou a acompanhar a vida num escritório de advogados... e consegui uma vaga em algo que sempre quis fazer: ERASMUS, no país que desejava! 
Fiz muita "asneira" mas deixei-me sempre levar pelo coração, agi tanta e tanta vez por impulso do momento... Envolvi-me, vivi, senti, desfrutei de cada momento como nunca e isso fez-me sentir viva, querida, dona de mim mesma, poderosa enquanto mulher, desejada e amada até.


Revi, re-aproximei-me de velhos amigos, voltámos a estar próximos, fortaleci relações. E, por outro lado, conheci muita gente nova e fiz amigos muito especiais (G. principalmente). A importância da amizade ganhou força na minha vida... algo que se tinha perdido durante o meu tempo de namoro, ou pelo menos se atenuou bastante.

Também pude conhecer Portugal de outra forma, ir a sítios que nunca tinha ido, fazer coisas que nunca fizera antes nem pensara sequer fazer (fui a um casamento de amigos, viajei, para isso, para uma cidade que não conhecia, com amigos, dormi em casas de pessoas que mal conhecia, experimentei, fiz tentativas e tive sorte porque não correram nada mal)!

Mais recentemente voltei a fazer coisas de que gosto imenso e que me fazem feliz como cantar. Antes disso, tentei voltar à natação mas tornava-se muito caro e infelizmente tive de adiar a ideia. Passei a escrever mais, leio mais do que nos primeiros anos de faculdade... de um modo geral parece-me que consegui "saldo positivo"!

Apesar de não deixar de comprar coisas, o que gastei foi quase tudo apenas nos saldos, fazendo compras que me deixam bastante satisfeita por terem sido artigos/peças que me faziam realmente falta. Ao longo do ano lectivo passado consegui poupar algum dinheiro todos os meses! Durante o Verão consegui, em simultâneo e em cerca de 2meses, trabalhar e fazer algum dinheiro e tirar a carta de condução que era um dos meus objectivos para 2011. O dinheiro que fiz no Verão foi o que me safou neste início de ano quando ainda nem sabia se teria bolsa e como continuaria a estudar (se não a tivesse era praticamente impossível.

Estou a fazer voluntariado que me aquece a alma por poder ajudar quem mais precisa pois tenho perfeita consciência de que, a qualquer momento, posso ser eu (ou um dos meus) a precisar, da maneira como estão as coisas.

Passei a apreciar cada vez mais estar sozinha, ter o meu tempo, estar comigo mesma. Tive de o reaprender com o fim do meu namoro de tanto tempo, quando tinha os amigos longe e nas suas vidas, que eu própria afastara... Mas passei a dar muito valor ao meu tempo comigo mesma, a apreciá-lo verdadeiramente. E em 2012, ao ir de ERASMUS, penso que irei reavaliá-lo novamente.

Não considero que 2011 tenha sido um mau ano, muito pelo contrário, acho que até foi um ano muito positivo para o meu lado, bem aproveitado, com devaneios (muitos) pelo meio, dificuldades mas muitos sorrisos e corações cheios, muitas chamadas de atenção, à realidade em que se vive e muito contentamento pelo que me rodeia, apesar de tudo, por ter junto de mim pessoas tão especiais com quem posso contar...que gostam de mim de verdade, isso espanta-me e fascina-me!
Considero sim, 2011, um ano de transformações, quase uma ano de transição, de tomada de decisões e atitude, de mudança. E como quaisquer mudanças ou transformações custam, este foi um ano particularmente difícil, duro mas não significa isso que tenha sido mau, muito pelo contrário. 
Acho que 2011 foi um ano bom mas muito difícil. Se 2012 me trouxer tanta coisa boa como 2011 ficarei muito feliz. Mas, se não for pedir muito, que fosse um pouquinho menos duro e complicado este novo ano. Porque custa e cansa estar constantemente a lutar e encontrar obstáculos e dificuldades umas atrás das outras. 

Assim sendo, o meu pedido a 2012 é que ele me dê uma abébia. Não quero que seja fácil e não custe nada porque isso fá-lo não ter piada nem haver gostinho nenhum em cada conquista; queria apenas que não fosse tão custoso e árduo como este ano que acaba. Que 2012 traga a todos e cada um de nós aquilo que mais desejamos, mesmo que para isso seja ele mais difícil, custoso, duro e trabalhoso.

6 comentários:

  1. qe grande 2011 o teu ! para onde vais de erasmus?

    ResponderEliminar
  2. Passares por estas coisas todas significa que és uma lutadora e um exemplo pelo menos para mim.
    Adoro o teu blog.
    Feliz ano novo :)
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Oh Ana, muito obrigada, até me fazes corar. Que querida!
    Somos todas super heroínas, a verdade é essa. Lutamos como conseguimos e nos permitem as forças.
    Somos todas assim, é de mulher xD

    Beijinhos e bom ano, muito obrigada.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!