Pesquisar neste blogue

domingo, 13 de maio de 2012

Às 14h acordei assim:

Fields Of Gold

You'll remember me when the west wind moves
Upon the fields of barley
You'll forget the sun in his jealous sky
As we walk in the fields of gold

So she took her love
For to gaze awhile
Upon the fields of barley
In his arms she fell as her hair came down
Among the fields of gold

Will you stay with me, will you be my love
Among the fields of barley
We'll forget the sun in his jealous sky
As we lie in the fields of gold

See the west wind move like a lover so
Upon the fields of barley
Feel her body rise when you kiss her mouth
Among the fields of gold
I never made promises lightly
And there have been some that I've broken
But I swear in the days still left
We'll walk in the fields of gold
We'll walk in the fields of gold

Many years have passed since those summer days
Among the fields of barley
See the children run as the sun goes down
Among the fields of gold
You'll remember me when the west wind moves
Upon the fields of barley
You can tell the sun in his jealous sky
When we walked in the fields of gold
When we walked in the fields of gold
When we walked in the fields of gold


As noites cúmplices passeadas por Sintra. Os nossos "segredos" e confidências. Cada gesto de ternura. Saudade. Esta música tem tanto de ti...de nós!



  
Que merda tenho eu andado a fazer com o homem maravilhoso que me ama?!?
Devo ter cocó de pássaro na cabeça para o fazer sofrer desta forma...

2 comentários:

  1. Ele ama-te. Tu não.
    Mentaliza-te disso e espera por alguém que não te deixe uma única dúvida. Alguém que te faça ser e fazer as coisas que esse rapaz faz por ti. A ele, deixa-o procurar também esse alguém.

    Ao início podia haver dúvidas, mas agora é mais que óbvio: Andas a enganar duas pessoas.

    ResponderEliminar
  2. É verdade Anónimo, que não é normal ter-se dúvidas quando gostamos de alguém e eu não tenho nenhuma quanto ao gostar dele. Agora, ter dúvidas quanto a tudo o que nos rodeia, às circunstâncias, aos factos....!?! não será normal? não será humano?

    Eu sei o que é sentir, no mesmo momento e LOGO que se ama alguém, que se quer estar com ela e esquecer tudo o resto. Sei perfeitamente, já o vivi. Mas também sei que o amor por vezes nos cega, que faz-nos ver sob um véu de deslumbre e impulsividade. E que isso, mais tarde ou mais cedo, nos magoa como NUNCA, como NADA antes.

    Cada caso é um caso. Eu não consigo compreender o porquê de tudo o que tenho vivido, feito e passado com ele. Mas também vejo tudo o que já passámos, o que me faz sentir, como me faz sentir...vejo o que fez por mim e eu por ele - porque não sou só eu a receber. Senão ele já se teria ido embora. Se eu não o fizesse feliz que estaria ele a fazer sempre por perto/do meu lado mesmo me amando? Eu já amei com todas as minhas forças, com tudo de mim, como nunca e, por não ser feliz, abandonei aquele amor (que era um namoro longo, uma relação sólida)! E eu, se ele não me fizesse feliz, porque é que penso nele da forma que penso, porque é que ainda estaria por perto? Eu que sou tão a favor da liberdade e, apesar de tudo, não me sinto presa a ele...!

    Eu e ele já passámos por muito, sempre em circunstâncias menos favoráveis a um avançar de relação, desde o início. Não é com leviandade que se deita tudo isso fora. Porque aconteceu se não significasse nada e devesse abandonar este sentimento?!?

    No início, quando o conheci haviam dúvidas (poucas) depois veio uma fase crítica que me deitou a baixo e mais tarde uma maior vontade deste sentimento, deste alguém que me acompanha há tanto...essa vontade e a certeza de poder/querer avançar são coisas que, com o tempo (e só com ele) se revelarão e traduzirão o que é melhor para ambos.
    O "início" não foi um namoro, aliás, nunca namorámos! Não é assim tão objectivo...

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!