Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Fim de semana volvido, outra semana começou

Estive(mos) de Fim de Semana intensivo de ensaio do coro. Sábado de manhã preparámos tudo, depois de termos deitado tarde na Sexta (porque ele saiu tarde do emprego) e chegámos pela hora do almoço ao local marcado. 
Preparámos malas e bagagens (incluindo o gato) e pusemo-nos a caminho, chegámos mesmo quando estavam a preparar-se para o almoço que foi em género buffet com o que cada um dos membros levara tudo junto, em cima da mesa: uma diversidade e partilha de sabores deliciosa. 
Perdemos os ensaios e todo o trabalho da manhã mas não conseguimos estar lá antes - estivemos a cozinhar almoço e preparar lanche e roupa para passarmos a noite em casa dos pais dele...!


Na sexta a minha irmã veio para cá e ele passou a apanhá-la na estação. Ele ainda esteve connosco mas não muito tempo, foi trabalhar às 19h... e eu e ela fomos ao supermercado (pedi à minha mãe que fizesse um pudim para levar para o coro no sábado e fui levar-lhe os ingredientes), estivemos nas lojas, depois do intervalo dele fomos para a sua casa, jantámos e fizemos bolos. Fui buscá-lo e depois dele jantar, deixámos a minha irmã em casa, trazendo o pudim já pronto. Demos uma volta e fomos para casa, já passaria das 2h quando nos deitámos.

O tempo passado em casa dos pais dele é estranho para mim, são pessoas muito diferentes de mim, mais, são pessoas com ideais e atitudes que eu simplesmente não compreendo. Faz-me impressão a forma como encaram a vida, o estilo de vida que levam, é tudo o que eu não apoio, não quero e nem compreendo. Acho que tudo isso contribui para não estar muito bem quando lá vou... Eu gosto deles mas reprovo as suas atitudes e maneira de estar na vida. Quando estou com eles faço um tremendo esforço por não ligar ou dar importância a essas coisas, porque afinal de contas não tenho nada a ver, quem sou para criticar ou apontar dedos?! Mas é-me praticamente impossível, engulo em seco tanta coisa e mordo a língua para não começar a desbobinar de um momento para o outro.

Não sou assim normalmente, é contra o meu carácter mas neste caso já percebi que só geraria conflitos inúteis e mau ambiente porque eles, pura e simplesmente, não ouvem ninguém e não querem saber. Assim, tento ao máximo abstrair-me de tudo o que sei sobre eles, do que fazem que vá contra os meus ideias mas custa tanto...! Ninguém é perfeito, muito menos eu. Não sou ninguém para pôr defeitos nos outros quando tenho tantos mas sou humana e o ser humano tem destas coisas. Eu não consigo ver a vida da maneira como eles a encaram e custa assistir a isso calada, imóvel, virando costas para evitar falar.


Depois do ensaio durante o dia fomos a casa dos pais dele onde lanchámos. Pela hora de jantar fomos ter com o grupo ao sítio onde eles comeram. Ficámos até tarde no local onde decorreu o fim de semana, a jogar com o grupo, depois de termos sido praxados, porque era a nossa primeira vez nesta actividade tão marcante do coro. Um jogo bem divertido que se alongo até depois da 1h. 

No Domingo, às 9.30h, já lá estávamos de novo até às 14h. Almoçámos em casa dele e viemos para Lisboa. A irmã dele fazia anos e estivemos (pouco tempo) em sua casa antes dele ir trabalhar, os pais ficaram lá... Eu fui ter com a minha irmã antes dela se ir embora, despedi-me e fui ao supermercado. Depois das compras estive a estudar e esperei por ele (que saiu tarde).
Deixou-me em casa, apanhou os pais e foi pô-los a casa (agora que o outro carro está para arranjar, só têm um carro e o G. fica com ele). Quando voltou já passava das 1h e passou a apanhar-me para lá passar esta noite em casa dele. Dormimos até depois das 11.30h e almoçámos, fiz mais um bolo e vim para as aulas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!