Pesquisar neste blogue

domingo, 8 de setembro de 2013

Mais de um mês de ausência

Mas estou finalmente de volta. Já tinha saudades disto, mas não tenho tido mesmo como cá vir (no internet acess) Foi (tem sido) um período atribulado e muita coisa já se passou.



Em primeiro lugar: consegui terminar a minha licenciatura, depois de muito esforço e penar, repeti exame no final de Julho e passei conseguindo atingir o meu mais ambicioso objectivo do ano.

Depois do exame regressei à terrinha para aproveitar os últimos dias perto do mais que tudo, antes que as férias dele acabassem e nos esperasse cerca de um mês longe um do outro. Aí passou a voar, o pior foi o tempo de (looooooonga) espera até que finalmente chegasse o dia de voltar para ele.

Nos primeiros dias não tinha absolutamente nada para fazer, sem internet e com falhas na TV, os dias não passavam, eram verdadeiramente penosos...tive de me entreter como pude. Deu para ler um romance - Diário da nossa Paixão, Nicholas Sparks adorei, que história de amor linda e comovente - e para aprender e experimentar receitas de doces! Ainda fui à praia algumas horas mas poucas, porque com o clima que esteve por lá, não conseguia aguentar muito tempo ao calor.

Mesmo depois de toda a "luta" para terminar a licenciatura, houve uma questão difícil de digerir. A minha irmã, que no ano lectivo que terminou entrou para a faculdade, anunciou a sua decisão de não querer voltar a estudar este ano. Perdeu o primeiro ano, apenas passou uma disciplina e diz não estar preparada para continuar. Segundo ela, precisa de se afastar, recompor e, para isso, decidiu procurar trabalho e ficar com o meu pai na nossa terra-natal para, no próximo ano, voltar então a tentar estudar.
Não foi fácil explicar tudo ao meu pai e muito menos ele aceitá-lo e compreender. Confesso que não sabia como lidar com a situação mas não havia mais nada a fazer senão tentar encaminhá-la (ajudando-a) uma vez que a sua decisão estava tomada e irreversível. 
Desde aí foi preciso insistir com ela e motivá-la para procurar trabalho e empenhar-se nisso (não estava fácil) e quando já não se previa muita sorte, quando me chamaram para trabalhar, já Agosto ia a mais de meio, disseram que ela também teria trabalho pelo menos por 2meses.



Quando finalmente recebi um telefonema para ir trabalhar, já só faltavam 2 semanas para o final do mês de Agosto. Fiquei contente porque precisava de ganhar algum dinheiro para por de parte e de me ocupar, senão daria em maluca sem nada para fazer (o tempo não passa, pura e simplesmente).

Estava a trabalhar nem há uma semana quando me chamaram para outro trabalho. Pedi que a minha irmã me substituísse no primeiro (uma vez que seria ela quem o iria continuar do mês de Setembro em diante) e "saltei" para o outro. Foram mais de duas semanas, todos os dias, sem qualquer folga, horários exigentes e carga de trabalho bem pesada. Foi duro mas tinha de me concentrar no objectivo que estipulei para mim mesma. Os dias passaram-se, assim, mais depressa e finalmente chegou o dia 2 e, com ele, o regresso aos braços dele.

Não podia estar mais feliz, mais, estava radiante e tudo corria bem - até conseguimos ir dois dias à praia como tanto queríamos - até, dois dias depois (na quinta), ficar doente. De cama, mesmo. Na noite passada (madrugada) estive 3h na urgência, em exames e a levar soro. Agora é ser paciente, esperar que passe depressa e recuperar, um dia de cada vez. Pelo que me disseram, é um virus que mais nada posso fazer senão continuar a medicação (que comecei na terça para uma infecção num dente), repousar e deixar que o organismo se encarregue de curar-se.

1 comentário:

  1. Vais ficar melhor minha VerdezOlhos, tanto tempo sem saber de ti para agora me dizeres que estás doente...mau Maria...:)
    Vá ! Põe-te BEM! As melhoras:)

    Um passo de cada vez, combinado?

    jinhosssssss

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!