Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Foi a nossa Páscoa

Sim, este ano, passámos, pela primeira vez, a Páscoa juntos. Eu acabei por não ter oportunidade de ir a casa (confesso que não me esforcei muito por isso porque queria estar com ele) e foi, depois do Fim de Ano, a nossa primeira época festiva passada lado a lado, fisicamente, finalmente. 
O fim de semana prolongado soube-nos que nem ginjas e nós fizemos questão de aproveitá-lo o mais que pudemos. 

Apesar de não ter sido fácil de gerir a visita a um lado (o meu) e a outro (o dele), conseguimos articular tudo e estivemos com a minha mãe (a família que tenho cá) e com os pais e irmã dele (quase única família que lhe conheço). Esforços e cedências de ambas as partes e conseguimos um Domingo de Páscoa "tranquilo". Mesmo com o jogo que decidiu o título a não se deixar passar despercebido. Onde é que já se viu um jogo de futebol decisivo no Domingo de Páscoa pah?!
O mais importante, é claro, foi estarmos juntos. E será com certeza relembrada sempre como especial por isso mesmo. A nossa primeira Páscoa juntos.
Pequeno almoço tardiu e reforçado em casa da minha mãe e o resto do dia na casa dos pais dele.

Na quinta tive, felizmente, a tarde livre e, depois de almoçarmos com a minha mãe (recém chegada da terrinha onde esteve uma semana com a minha avó/família), fomos tratar de uns assuntos pendentes com os quais ele se tinha comprometido, lá do grupo dele. Basicamente, servi de motorista para os meninos, no meio de um trânsito infernal da baixa lisboeta, debaixo de um calor dos diabos, enfiada no carro. Estava mesmo a ver-me a passar mal. Lá se sofreu e se despacharam.
Com ainda algumas horas de luz pela frente e um tempo agradável, aceitámos o desafio e fomos até aos jardins de Belém. Dois rapazes e uma rapariga. Uma guitarra, um bandolim, uma caixa aberta no chão. E fomos cantando...o que nos lembrávamos timidamente. Ainda lá nos puseram 3€ e estávamos num sítio onde não passava quase ninguém. Valeu pelo prazer da música, da companhia e pela diversão. 
Quando começou a arrefecer decidimos voltar a casa.
Mas ainda voltámos a sair para dar um passeio em Sintra à noite. Recusámo-nos a desaproveitar um fim de tarde/noite livre, com perspectiva de fim de semana grande.

Sexta pudemos dormir mais um bocadinho e soube bem reforçar energias. Mas como o organismo já vai estando habituado, não conseguimos dormir até muito tarde. Foi dia de cabeleireiro caseiro para ele - e nisso perde-se sempre algum tempo. Levantámo-nos com a intenção de arrumar e limpar a casa mas, depois de comermos, tomarmos banho e vestirmo-nos, decidimos sair e aproveitar o dia lá fora. A limpeza ficou suspensa, achámos que merecíamos.

Fizemos um lanche apressado e improvisado e saímos sem saber muito bem para onde. Acabámos na margem sul, num sítio onde ele tinha ido com o trabalho, à beira da praia fluvial, na Moita. Por lá comemos e estivemos um bocadinho.
No regresso fomos ao FREEPORT e até trouxemos umas coisas engraçadas da nossa loja de eleição lá, onde se fazem grandes e muito úteis achados: o continente outlet. 
De regresso à capital, fomos ainda ao Centro Comercial devolver uma compra que tínhamos feito e, finalmente em casa, cozinhámos e jantámos.
Preparou-se a comida para o dia seguinte todo fora e já nos deitámos tarde.

No Sábado fomos conhecer o Parque dos Monges em Alcobaça, depois a vila de Alcobaça e ainda passámos por Peniche, de regresso a casa... depois conto como foi.

E Domingo foi dividido entre a minha mãe (minha única família cá) e a família dele.



Que a vossa Páscoa tenha sido bem docinha!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!