Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Thank God it's FRIDAY!

Estou exausta. Existe demasiada coisa a atormentar-me.


Hoje abriram as inscrições para a OA, que decorrem até dia 9, quero inscrever-me porque é esse o meu objetivo neste momento mas, ao mesmo tempo, não o queria fazer já. Tenho receio de não conseguir e, querendo fazer tudo ao mesmo tempo (entenda-se: trabalhar/estagiar, fazer a tese e a OA que inclui aulas e exames), não consiga senão dar em maluca.

Não estou satisfeita com o escritório onde estou, nem com as funções que desempenho, nem com a perspetiva que (não) tenho do que farei se aqui ficar o tempo da OA (cerca de 3 anos), muito menos com aquilo que me pagam. Para inscrever-me no curso que abriu hoje na OA, tenho de ter um patrono e não queria que fosse este. Não queria ficar com um patrono assim durante 3 anos da minha vida. Sim, posso mudar mais tarde mas implicará começar de novo noutro lugar e toda a parte burocrática da mudança de patrono, além de que pago por isso e podem até dificultar-me a vida se eu me quiser ir embora sendo patrocinada deste escritório.

Há momentos em que questiono seriamente a minha escolha profissional. Só tenho feito trabalho de secretária praticamente, são trabalhos metódicos, chatos, burocráticos, horas e horas à frente do computador. Não precisava ter tirado nenhum curso superior para fazer o que faço aqui, muito menos ter investido tanto ano, dinheiro e esforço nisso...! Eu sei que tenho de ter paciência, que estou apenas a começar, ainda muito no início. Mas é tão desmotivante! Não imaginam como me sinto todos os dias aqui enfiada. Não foi nada disto que eu sonhei para mim, não é, nem de perto nem de longe, isto o que eu quero fazer da minha vida!!!

A tese está a pairar sobre a minha cabeça como uma assombração. Não tenho a certeza do que fazer, ainda não fiz nenhum plano e sinto que o devo fazer. As pesquisas também foram ainda muito poucas e não li praticamente nada sobre o tema. Queria mesmo fazer algo bem feito e não sei se conseguirei assim. Já pensei até não inscrever-me já na OA para poder fazer a tese até ao final do ano mas, ao mesmo tempo, estarei (de qualquer maneira) a trabalhar, portanto, não me sobrará muito mais tempo.

Para além disto, tenho de pagar 700€ + 150€ no ato de inscrição. Como? Boa pergunta. A acrescer ao facto de ter as propinas do Mestrado também para pagar (600€).

Ainda não sei nada da Bolsa, apenas que não fui alojada na Residência. Isso pode querer dizer que me darão bolsa e, tal como propus aos serviços, tendo cedido o quarto individual a que tinha direito neste último semestre da tese, me darão um complemento ao alojamento ou, por outro lado, pode significar que não terei bolsa e, aí, não sei que será de mim.

Quanto ao resto...a minha mãe continua sem me falar. Desde que cheguei só foi ter comigo, depois de eu muito insistir, para lhe dar as coisas que a minha avó lhe tinha mandado. Nem subiu, desci para lhe dar as coisa, nem saiu do carro. Pensei que estaria tudo bem e lhe teria passado a neura mas não, respondeu-me mal e estava cá com uma cara! Na semana passada decidi engolir o orgulho e mandei-lhe uma sms a perguntar se estava tudo bem e ela respondeu apenas e só "Está tudo ótimo" (eu só lhe pude responder "ainda bem...")! Não há o que fazer...e o seu aniversário é para a semana.

E a minha irmã, que, finalmente se decidiu e se tinha candidatado a transferência de curso para a terrinha, não foi aceite. Teve de recandidatar-se em segunda fase pelo concurso nacional de admissão às faculdades e só saberá o resultado no dia 25. Fico tão triste por ela...sei que o melhor para ela é ficar lá porque, apesar de tudo, tem toda a estabilidade e segurança que não encontrará noutro lugar. Tem o meu pai, tem um teto, tem comida na mesa e um trabalho que a ajuda. Voltar a Leiria ou ir para outra zona do país implica recomeçar tudo do zero, de novo e eu sei como isso pode ser assustador. Eu sei que neste momento ela não precisa disso. Preocupa-me, portanto, não saber o que ditará a candidatura. Na próxima semana espero ter notícias boas!

E o facto de termos ainda muito trabalho lá em casa, por um lado entusiasma-me porque adoro ver as mudanças que se conseguem fazer mas em muitas alturas tira-me do sério estar ainda com tanta coisa desarrumada, encaixotada, sem sítios certos, tendo nós uma vida de cão que só nos permite chegar a casa depois das 20h da noite, 12 horas (ou mais) depois de termos saído. Já basta a confusão que é o dia-a-dia de trabalho mas nós, além disso, temos uma confusão em casa.

Tudo isto, eu sei, tem também afectado o nosso humor porque eu estou menos tolerante e não consigo ter cabeça para certas coisas, tenho consciência de que perco a cabeça com coisas pequenas mas que têm o poder de me desorientar completamente e... temos discutido constantemente. Enfim, acho que é demasiada pressão. Estou a endoidecer.


Sinto que agora estou sempre preocupada, com um semblante carregado e uma nuvem pesada às costas. Estou frequentemente ansiosa, não tranquila. E isto dá cabo do sistema nervoso de qualquer um... estou sempre a sofrer por antecipação. E eu não quero ser assim. Preciso de recuperar a minha calma e paz de espírito, a tranquilidade e preocupação controlada. 

1 comentário:

  1. Vais ver que quando as coisas acalmarem, as coisas começaram a melhorar !
    Pensamento positivo e muita força *

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!