Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Irmãs de coração


A faculdade trouxe-me algumas amizades que levo para a vida. Não são muitas - na verdade são muito poucas - mas são muito, mesmo muito especiais. Infelizmente não tem sido nada fácil manter contacto desde que as aulas terminaram e cada um está a travar as suas lutas individuais e pessoais.

Eu nunca tive amizades muuuuito íntimas, nunca fui assim. Talvez se deva ao facto de em miúda os meus pais não permitirem grandes proximidades (para "me proteger e salvaguardar"). Nunca ia a festas de aniversário de amigas, nunca dormia na casa delas, não havia grandes programas com elas... enfim. A proximidade nunca foi muita. Mas há pessoas, embora poucas, volto a reforçar, com as quais temos uma ligação superior, inexplicável e que só se sente.

Tenho amigas que considero verdadeiras, com as quais não tenho de falar todos os dias, sobre as quais não tenho de saber tudo e com quem não tenho de ter "cuidados" ou tratamentos especiais. Existem pessoas que estão presentes nas nossas vidas e no nosso caminho, apesar de muitas vezes estarem distantes de nós. Existem pessoas com as quais sabemos que podemos contar invariavelmente, seja para o que for. Essas pessoas, ficam genuinamente felizes por nós e preocupam-se quando algo não está bem. Essas pessoas podem não ouvir de nós ou não nos dizerem mas nós sabemos que as amamos, que fazem parte das nossas vidas e que nos marcaram de alguma forma.
Eu tenho amigas com as quais posso ser eu mesma, posso estar realmente à vontade. Posso ser como a nossa amizade: genuína. Eu tenho amigas com as quais posso passar dias, meses, sem falar mas que, quando reencontro ou falo nada na nossa relação mudou. Contamos as novidades naturalmente e é como se nem um dia tivéssemos passado apartadas.

Mais do que amigas, eu tenho irmãs de coração. Contam-se pelos dedos de uma mão as que a faculdade me trouxe mas uma, a primeira, é especial (na realidade são todas!). Não nos conhecíamos de lado nenhum e desde o primeiro dia que estamos juntas. Desde o dia em que fomos praxadas, vá-se lá saber como, o destino juntou-nos. Passámos a ser sempre nós as duas. Muitas outras pessoas vieram, umas ficaram outras foram embora, outras ainda estiveram só de passagem. Temos outras amigas em comum mas ela é diferente. Ela foi a primeira, aquela. Somos muito diferentes uma da outra, temos interesses diferentes, objectivos e ambições diferentes mas há muita coisa que nos une e a mais poderosa é o amor. Muita coisa já aconteceu, estamos hoje muito diferentes daquelas duas miúdas que se conheceram há mais de 6 anos (e parece incrível como o tempo já passou!), já estivemos mais próximas em algumas alturas e noutras nos afastámos mas ela está sempre lá para mim, tal como eu estarei sempre aqui para ela. E acho que nos nossos corações sabemos disso hoje, mal o adivinhámos naquele primeiro dia. Tornamo-nos irmãs de curso.

E eu só posso agradecer a Deus ter colocado pessoas tão iluminadas e especiais no meu caminho!

Hoje a tarde será dedicada à minha S.

2 comentários:

  1. Amigas assim tenho duas, também trazidas pela faculdade. Depois tenho outras amizades também criadas inicialmente pelas situações de praxe que se desenvolveram para muito mais. E embora não estejamos sempre todos juntos, somos um grupo porreiro :)

    ResponderEliminar
  2. Podia ter sido eu a escrever este texto, do início ao fim!! Tive um percurso praticamente igual ao teu. Sabes o que te digo? Ter poucos amigos faz-nos dar mais valor aquilo que eles fazem por nós :) E faz-nos dar mais valor aos amigos em si!

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!