Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Neste nosso 28


Às vezes acho que já penso (e falamos) demasiado em casamento. Não me deixa confortável esta vontade sem concretização material... não gosto de falar das coisas que desejo sem ter perspectiva real de quando poderão realizar-se, deixa-me ansiosa e sonhadora, o que faz com que me arrisque a ter uma desilusão. Por isso evito debater muito tais assuntos, embora na questão do casamento por vezes seja irracional e o assunto surja naturalmente. Para ajudar aos amigos, familiares e conhecidos, o homem também puxa por mim. Não estou desesperada para casar, nem nunca senti uma vontade muito forte de ser esposa embora hoje seja diferente. Vivemos juntos há um ano e para mim isso nem era concebível pois gostava que isso só tivesse acontecido quando me casasse. No entanto, as circunstâncias fizeram com que assim acontecesse e sou feliz assim. Ainda assim, acho que o que mais me faz pensar em casamento é o querer viver a minha vida ao lado dele, não me imaginar de outra forma e ser tão completa assim. Ele faz-me feliz, é o meu homem, o meu melhor amigo, o meu companheiro de todas as aventuras e desventuras, o meu amor. A vontade de tê-lo sempre comigo e de estar sempre com ele leva ao mais natural dos desejos que se concretiza idealmente no casamento - para quem nele acredite. Mas não é fácil acreditar nele quando vimos de contextos em que o casamento não resultou, afinal os meus pais estão separados depois de 24 anos juntos e os dele estão infelizes juntos (terão alguma vez sido enquanto casal?). Além disso não temos nenhum futuro muito promissor já em vista. Apesar do trabalho dele estar a correr bem eu ainda nem comecei, estou em fase de formação e é tudo muito incerto. Da mesma forma e consequentemente, não temos casa própria como tanto sonhamos nem sequer perspectiva de quando tal será possível. Resumindo, as incertezas e inseguranças são muitas e como é óbvio pesam mas a verdade é que se dissipam quando me lembro de como sou feliz ao lado dele, de como quero fazê-lo feliz e de como cuidamos um do outro. Ele é o mais precioso do meu dia, a minha alegria, o meu ponto fraco e ao mesmo tempo a minha maior força. Ele é quem eu quero para a minha vida. E isso basta-me, podia casar já amanhã! Afinal, se já sinto isto, do que preciso mais? Infelizmente não é tão fácil e simples assim mas podia ser simplificado... Eu não quero ser uma noiva velha, gostava muito de casar jovem (há quem queria ser mãe, eu quero ser a sua esposa), assim que possível porque, já o querendo consciente e mutuamente, só contaríamos mais anos de casados! Custa-me adiar (esperando) este sonho, só isso.

2 comentários:

  1. Estou um pouco na mesma situação que tu, eu e o meu namorado gostávamos de nos juntar e casar - nem que fosse pelo registo - mas atualmente estamos os dois desempregados. Por isso é algo que tão breve não poderá acontecer :(

    ResponderEliminar
  2. sou assim também: não consigo fazer grandes planos sem ver que possam ser realizados a curto prazo. Claro que pensamos sempre num futuro, no casamento, nos filhos, essas coisas, embora não seja planeado ao milímetro tipo "casamos no ano x, temos filhos no ano y". Custa-me este adiar constante, esta espera, principalmente porque já lá vão mais de oito anos de namoro (quem manda começar a namorar cedo??) e ainda estamos ambos a estudar. Parece que o tempo não passa, não anda para começarmos a realizar os nossos sonhos a dois. Mas tu já levas um adianto! Já vivem juntos, já têm isso, pelo que o casamento (embora eu ache muito importante) não iria mudar praticamente nada (pelo menos nada na vossa rotina). Agora também estás prestes a acabar o curso, já está quase! :)

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!