Pesquisar neste blogue

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Pessoas sem noção

No sábado fizemos um jantar cá em casa com dois casais amigos nossos com quem já não estávamos há algum tempo. Os rapazes são amigos de infância do homem e uma das namoradas é uma amiga minha de longa data, quase vizinha e responsável por nos termos conhecido.


O convívio começou pelas 18h e durou até às 22h. Eu estava com alguma neura porque tinha estado a cozinhar imensa coisa e tenho (como sempre) receio de não estar bem ou não chegar, etc. Apesar das birras sem fim que a miúda de um dos casais fez e de termos todos de andar atrás dela para aqui e para ali para a tentar entreter e evitar que fizesse porcaria, quando se foram embora eu fiquei com a sensação que em regra me dá depois de estar com amigos: foi bom!
Não acho correcto falar mal das pessoas, muito menos daquelas que nos são próximas nem a mim me compete nem tenho legitimidade para isso mas não posso deixar de confessar algumas coisas que retive daquele jantar. 
  • Se já achava que não tinha vocação para ser mãe, mais me ajudou aquele serão. Não tenho mesmo espírito, pelo menos para já, para aturar uma criança pequena (estou pronta para a chacina pública que daqui poderá advir).
  • Há pessoas que só estão bem fazendo-se sobressair e só o fazem desvalorizando ou ridicularizando os outros. Mesmo aqueles que são seus amigos, porque é o seu feitio. 
  • Outras pessoas há que fazem perguntas mas nem querem ouvir a resposta. Não sei para que é que se dão ao trabalho de perguntar. Nunca vos aconteceu fazerem-vos uma pergunta e quando respondem apercebem-se de que aquela pessoa nem sequer se interessa verdadeiramente porque já nem vos está a ouvir? Isto pode acontecer uma vez ou outra, a qualquer um de nós, porque estamos distraídos ou porque o somos, ou por outro motivo qualquer mas quando acontece sempre já tem outro nome. Isto só faz com que, em relação a essa pessoa, tenhamos uma atitude como "é mesmo para responder?" quando nos perguntam alguma coisa ou façamos um compasso de espera antes de responder na esperança que ela se esqueça da pergunta e não tenhamos de gastar o nosso latim a responder a alguém que nem quer saber.
  • Eu não sou mãe e nada percebo de crianças mas depende dos pais terem algum cuidado com o que a mesma faz em casa alheia ou estou errada? Todos nós sabemos que as crianças são irrequietas e que fazem birras, que podem desarrumar alguma coisa mas há coisas que podem ser evitadas. A criança tem pouco mais de um ano e meio, mal entrou na sala, ainda eu não me tinha chegado à mesa com todos, já havia migalhas espalhadas por toda a carpete. Se sabemos que as crianças podem sujar-se ao comer por que é que não damos à boca? Ou, se sabemos que não estamos em nossa casa, por que é que não temos o mínimo de cuidado de pensar que dar a uma criança uma tosta para a mão irá resultar em porcaria certa? Refiro-me a coisas do mais simples que há: quando dão de comer à miúda ela estar na mesa ou com alguém a dar-lhe a comida. Senão é esfregar a comida nos sofás, mandar para o chão e passar por cima... vale tudo. A mim parece-me algo simples e natural mas admito que possa estar enganada.
  • Não é por estar a dizer isto que acho que vou receber pessoas em casa e que não me podem sujar nada. Não é nada disso. Sei perfeitamente que é natural e normal que se suje e não é intencional nem por maldade. Estou a referir-me a uma questão de educação e mínimo cuidado, nada mais (não somente em relação à criança que não tem culpa de nada, quem tem de ser responsável são os pais mas principalmente em relação, precisamente, aos pais). Já tenho recebido muita gente, muitas mais pessoas em simultâneo do que naquela noite, mas nunca a casa ficou tão porca (não há outro nome!). E, tratando-se de adultos, não posso deixar de me admirar com isso.
  • Mas o que não me sai da cabeça é só uma coisa: depois de tudo isto, um dos amigos do homem (precisamente o pai daquele bebé) disse-lhe, com todas as letras, que nunca mais voltava a nossa casa porque se tinha sentido mal depois de sair de lá.
Eu nem sei o que dizer quanto a isto. Sei que foi dito, como sempre por aquela pessoa, meio a sério meio a brincar mas há coisas que eu acho que não se dizem. Não quer dizer que não dissesse que se sentiu mal mas da forma como o disse quis transmitir que a culpa era nossa. Eu fiz imensa coisa, pus à disposição de todos. Eram todos adultos, comeram o que quiseram e bem entenderam, ficaram, como sempre, à vontade. Não sou obrigada a ouvir uma barbaridade destas, ainda mais de alguém que se comportou como se comportou em minha casa. Foi o homem que recebeu o recado mas se fosse a mim que ele me tivesse dito aquilo bem as ia ouvir. E pode ter a certeza que não vem mais a minha casa, pelo menos enquanto a minha memória não me atraiçoar. Há pessoas muito mal formadas. E assim se estraga a recordação de um serão entre amigos.

4 comentários:

  1. Ai fogo ... realmente !
    Já se sabe que quando mete crianças, complica. Mas sim, os pais têm de ter mais atenção quando vão a outras casas. Mas dizer isso fica mesmo muito mal possas..

    ResponderEliminar
  2. Concordo com tudo, sobretudo no que diz respeito às crianças.
    Nós criámos uma filha que nunca nos deixou mal vistos em lado nenhum. Eu fui sempre muito rigoroso com o comportamento dela e estando em casa de amigos, ainda o era mais. Entendo que os outros não têm obrigação de aturar os nossos filhos. E as crianças não são estúpidas. Se forem convenientemente educadas, aprendem a comportar-se.
    Esta questão das visitas, dava pano para mangas. Antigamente a minha casa era a casa da malta, mas já me falta a paciência e apanhei tantos "escaldões", que aos poucos fui acabando com os petiscos e as bebedeiras. :)

    ResponderEliminar
  3. Há pessoas sem noção nenhuma...

    ResponderEliminar
  4. Não me admira esse comportamento por parte de crianças. Ainda para mais uma criança tão pequenina. O que me incomoda é o comportamento dos pais, que não são capazes de "domar" as crianças que têm a seu encargo. Se bem que nesta situação deves compreender que um pai também não vai prender a criança no colo a noite toda só para ela não sujar nada, são coisas normais e que acontecem mesmo aos pais que educam e andam sempre em cima.

    A mim o que me incomoda são estas situações com adultos. Tenho um familiar que sempre que vem cá a casa a alguma festa de aniversário suja tudo. Descasca amendoins diretamente para o chão, é capaz de deixar cair alguma coisa ao chão e não apanhar... até já fez xixi no chão da minha casa de banho. E é um adulto dito normal, não tem nenhum problema físico ou mental, é apenas e só porco. É isso mesmo.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!