Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Combater a fome


Às vezes acho que nos falta a consciência de que há muita gente sem nada daquilo que é o mais básico e essencial, que a muitas famílias falta dinheiro para comer e vestir, para sobreviver minimamente. É pena que seja mais no Natal que isto aconteça porque é algo que deve ser lembrado todo o ano, em todas as épocas mas pelo menos que seja dado o alerta em alguma altura do ano. 
Se puderem, não deixem de contribuir. Mesmo que não seja com o Banco Alimentar, mesmo que não seja com a Liga contra a Fome ou com instituições conhecidas, se puderem fazer a diferença na vida de alguma pessoa, de alguma família, por favor não deixem de o fazer. 
Eu às vezes sinto que quando se quer ajudar só se pensa em ajudar pessoas que estão longe de nós, porque pertencem a uma instituição ou simplesmente porque não as conhecemos, no fundo porque se trata de uma realidade que nos parece (e queremos que assim continue) distante. Mas essa é uma falácia, a pobreza, a fome e a miséria estão mais perto do que possamos imaginar. Às vezes estão na porta ao lado, ao virar da esquina, escondidas atrás de um sorriso envergonhado. Talvez prefiramos ajudar "à distância" porque é mais conhecido, porque todos sabem o que é mas não lhe conhecem (nem querem conhecer) o rosto. Não estou a criticar, muitas razões existem, mais do que válidas, estas serão somente excepções. Qualquer ajuda é válida e preciosa, eu só tenho a sensação de que às vezes parece que impomos que seja a um sem rosto, porque assim é mais fácil achar que não está perto de nós, não ganhar consciência da dura realidade.

Se puderem, ajudem, quem quer que seja, como vos for possível. Será com certeza precioso (quanto mais não seja para nós mesmos, que sabemos que ao menos tentámos mudar alguma coisa).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!