Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Morar junto

Tenho algumas divergências horárias com o homem, sempre foi assim porque cada um tem os seus afazeres e diferentes horários. Mas quando se quer estar com alguém e morar junto temos de, como em qualquer relação, ceder, adaptar-nos e procurar ajudar-nos da melhor forma possível.
Há dias em que o homem está a cair para o lado às 22h e eu ficava sem problema acordada mais 2h mas ele levanta-se às 6h e eu só 3h depois por isso compreende-se. Há alturas em que ele adormece no sofá para "ficarmos" até mais tarde e há outros em que eu vou para a cama mais cedo, dar voltas e voltas e (des)esperar até que o sono venha. Faz parte, acho eu.


O que eu acho mais importante é que haja diálogo sempre que uma das partes sinta que algo não está bem, que seja valorizado o que cada um sente, acha ou diz. Porque assim saberemos se é ou não importante irem dormir à mesma hora, determinadas tarefas serem só da responsabilidade de um ou, ao invés, ambos fazerem tudo. Muitas vezes decidimos dividir tarefas, outras vezes fazê-las em conjunto mas agora que estamos em situações distintas sou eu que tento fazer a maioria das coisas cá em casa por ele trabalhar mais do que a conta e eu não estar "empregada" de momento mas ele ajuda-me se lhe for possível e se eu precisar.
Desde que haja boa vontade e ambos cheguem a um acordo tudo corre melhor.
Começámos a morar juntos quase sem nos darmos conta, porque queríamos estar juntos mais tempo do que aquele que os horários tão diferentes e o morar separado exigia e passei a ficar em casa dele algumas noites... Até que demos por nós e eram mais as noites que dormia em casa dele do que na minha.
Não senti dificuldade nenhuma em morar com ele, pareceu, como em tudo na nossa relação (felizmente), tão natural. O que custou/custa muito é ter pouco tempo de qualidade com ele devido aos horários dos seus trabalhos, ao cansaço e às outras tarefas necessárias. Mas é um mal necessário, todos temos de trabalhar e ganhar a vida e eu só me posso orgulhar dele por tudo o que faz. E o mais importante é que partilhamos uma casa, uma vida, tal como o nosso amor.
Nada paga não termos de nos despedir todas as noites!

4 comentários:

  1. Sem dúvida e acho que isso consegue compensar tanta coisa :)

    ResponderEliminar
  2. O importante é conseguirem contornar as vossas limitações :)

    ResponderEliminar
  3. Sim, o diálogo ajuda muito. Juntos podem encontrar um meio termo que convenha a ambos :)

    ResponderEliminar
  4. Acho que essa é a questão essencial: o tempo que temos juntos é sempre condicionado por fatores externos. Há o trabalho, há o cansaço, há horários diferentes e complicados, há vida para além da relação, famílias e amigos distintos... Tantas coisas! Mas as pessoas acham sempre que os outros é que passam tempo de qualidade com os respetivos, que os outros não passam por isso, porque só vêm a parte bonita das saídas no fb. É irrealista. E é isso que leva a que tantas relações falhem, o facto de não estarem preparados para lidar com estes desafios de tempo.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!