Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Estado de alma

Maio começou e já falta pouco para chegarmos a meio do ano (é só a mim que me parece ter sido ontem a passagem de ano?). Hoje o dia não começou com o melhor espírito, tenho de confessar. O fim de semana foi ocupado com o que "tem de ser feito" e não houve tempo para descansar, mal dormimos e muito menos tivemos tempo para nós. Não me lembro de um momento em que tenhamos conseguido estar bem os dois, sem ninguém à nossa volta ou nada por fazer. Custa muito que estes dias sejam assim, porque são os únicos em que o tenho comigo, porque passo a semana toda à espera deles. Eu sei que pode ser até egoísta da minha parte mas não consigo sentir-me bem com um começo de semana assim, em que sinto mais a falta dele do que no início do fim de semana.


Na sexta ele foi ao futebol (inédito!) e por isso chegou mais tarde a casa, comemos à pressa e tivemos de sair depois das 23h para irmos a um compromisso seu. Voltámos a casa depois das 2h, mais mortos que vivos. Pior ainda foi sábado. Tivemos de ir trocar os pneus do carro de manhã e fazer umas compras, voltámos a casa, tomámos banho e voltámos a sair para uma aula de dança que ganhámos. Depois da aula fomos fazer mais compras e voltámos a casa para comer e saímos pela hora de jantar, para um outro compromisso dele, até depois das 4h da manhã. Eu sai de lá esganada de fome, tantas horas, atrasos e não havia NADA para comer. Só chegámos à cama por volta das 5h e ontem, como era dia da mãe, tivemos de nos levantar pelas 11h para ir almoçar a casa dos pais dele. Quando saímos de lá fomos ter com a minha mãe, aproveitar o sol de fim de tarde num passeio por um jardim e regressar a casa, cozinhar e jantar. Fomos pôr a minha mãe, voltámos a casa e já passava da meia noite quando nos fomos deitar.

O que mais me custa é não sentir estas coisas que carrego no peito. Porque eu sei que ele faz um esforço enorme para chegar a todo o lado que acha necessário e trabalha que se farta, não descansa o suficiente e tem uma vida exigente e ainda me tem a mim a "querer" atenção. Não acho justo da minha parte sentir-me assim, dizer-lho ou querer mais atenção. Sei que a situação em que estou também não abona ao facto de me sentir melhor e por isso não o posso culpar e fico sem saber o que fazer.
Além destes dias de fim de semana terem sido assim, no próximo ele sairá em retiro com o trabalho, o que fará com que não o tenha comigo novamente. Sinto-me só, não consigo evitá-lo. Há dias em que só me apetece, dada a falta de motivação, simplesmente não sair da cama. É uma sensação péssima e juro que me esforço (tenho esforçado) para a combater, mas é um trabalho diário e exigente, que nos põe realmente à prova porque lutamos contra nós mesmos. E é cansativo, verdadeiramente cansativo. É só um desabafo, se o dia, a semana e o mês começaram assim, só podem melhorar, e isso é uma boa notícia.
Boa semana!

1 comentário:

  1. Eu percebo-te porque eu também só tenho praticamente uma tarde por semana com o meu namorado e depende sempre dos compromisso que possamos ter. E claro, mesmo que esteja com ele em alguma situação fora de casa, não é a mesma coisa, não há a mesma intimidade, aquele não fazer nada com a pessoa. Mas a vida é assim mesmo, corrida. Temos é que aproveitar os momentos em que estamos juntos. E, se calhar, era giro arranjares algum hobbie, algo com que te entreteres durante a semana e que fosse compatível com os teus afazeres. Tipo caminhar, ver filmes, ler mais, sair com uma amiga que também possa estar com mais tempo livre... Aproveitar para tratar de coisas para o casamento (e deslumbrar com ideias do pinterest!).

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!