Pesquisar neste blogue

sábado, 7 de maio de 2016

Irmãs de alma

Há ligações que não conseguimos explicar e coisas que só nos podemos permitir sentir. Não se conhecem palavras para descrever certas certezas que temos dentro de nós, algumas sensações, instintos ou sentimentos. É muito, muito raro encontrarmos quem nos compreenda para além daquilo que somos fisicamente, para além do que conseguimos mostrar, que consiga ver-nos a alma. E eu tenho uma bênção na minha vida porque tenho alguém assim com quem posso contar, que está ao meu lado naquilo que preciso, sempre que preciso e que me faz muito bem porque é um ser tão especial!
Tenho o privilégio de ter uma irmã de alma, um laço que não se consegue explicar nem reproduzir, que não se pode senão sentir, em pequenas demonstrações, em algumas atitudes, olhares e gestos. Tenho a sorte de ter uma pessoa tão única e próxima na minha vida que posso mesmo afirmar ser alguém a quem estou ligada muito além do que nesta vida que conhecemos, é muito mais profundo do que somos capazes de entender e isso enche-me a alma de tranquilidade e faz-me tão bem.
Hoje ela disse-me, como aliás acontece sempre, aquilo que eu nem sabia que precisava de ouvir (mas precisava!) e sossegou-me o espírito mesmo sem saber. Também eu lhe disse coisas que não previa nem imaginava ser capaz de saber ou achar certo dizer. Quando estamos juntas é sempre assim, não consigo explicar, nada se prevê, tudo acaba por acontecer e sair, ser partilhado e ajudado, natural e mutuamente, muito para além do que conseguimos a olho nu perceber.


Hoje fui ver o meu vestido com uma amiga muito especial e ela acabou por se apaixonar por um lá, para ela, que lhe assentou de uma maneira incrível, parecia feito para ela! Eu fiquei tão mas tão contente por ela escolher algo tão especial e ir tão bonita que quase me emocionei. Passámos algum tempo juntas, o que me traz sempre imensa paz e felicidade. Estivemos a tratar de umas coisas juntas, almoçámos e despedi-mo-nos de coração cheio.

Às vezes paro para pensar em como nos conhecemos, como nos tornámos próximas e como evoluiu a nossa amizade. Já passámos por muito juntas, apesar de não sermos as amigas mais comuns, que se vêem todos os dias, que estão sempre juntas e que contam tudo uma à outra, temos uma relação fora do normal, em que pouco precisamos de dizer ou estar juntas para nos compreendermos, para sabermos quando uma está bem ou mal. Na maioria das vezes, intuitivamente estamos presentes, sem nos darmos conta, nas alturas chave da vida uma da outra e isso não tem preço. É engraçado constatar como estava destinado sermos tão próximas e é algo superior a nós, tão especial e que nos faz tanto bem, por mais que eu não me tenha logo dado conta disso.

1 comentário:

Muito obrigada pelas tuas palavras!