terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Primeiro aniversário de casamento

(Já passou imenso tempo mas venho agora partilhar o nosso primeiro aniversário de casamento...)

No nosso primeiro aniversário de casamento quisemos fugir. Tivemos a sorte de ter um feriado a prolongar-nos esse fim-de-semana e por isso pudemos ir passá-lo fora. Não queríamos que fosse um sítio que já conhecêssemos, nem que fosse muito longe para não perdermos imenso tempo na viagem, queríamos algo especial e com SPA mas não muito caro. Depois de alguma pesquisa decidimos conhecer a terra mais massacrada deste verão com a tragédia dos incêndios.
Saímos de manhã cedo de casa, deixámos os gatos ao cuidado da minha mãe e fizemo-nos à estrada. De caminho, saímos no Carregado e parámos no CAMPERA para as primeiras compras de Natal e conseguimos tratar de algumas prendas muito especiais a preços bem simpáticos. Já começava bem! Almoçámos por ali e chegámos ao nosso destino quando o sol estava prestes a pôr-se. Instalámo-nos e fomos ao SPA. O jantar foi num dos poucos restaurantes dali, a TABERNA DO FERRADOR, típico, acolhedor e uma agradável surpresa.
No dia seguinte saímos para passear pelos arredores depois do pequeno-almoço. Fomos visitar a Ponte Filipina e ficámos maravilhados. Tivemos sorte com o tempo, esteve sol e seco, apesar do frio. Almoçámos com vista privilegiada para o Mondego e passámos a tarde a passear pela zona sem horas nem obrigações, paciente e pacificamente - Praia do Mosteiro vale a pena visitar. 
Fizemos a sesta, acordámos só para comer, fomos para a água até ficarmos com a pele murcha e só mudaria o facto de não haver ninguém do hotel a controlar (embora isto devesse era partir da consciência e educação de cada um) a utilização do SPA porque eram só gritos e gargalhadas altas e atirar-se para a piscina e não respeitar regras nenhumas de utilização ou mínimo bom senso.
No último dia fomos ao mercado pela manhã e, depois, enchemo-nos de coragem e voltámos a vestir as roupas do casamento para tirarmos umas fotografias junto à piscina, com vista para o Rio (valeu-nos o calor do sol da hora de almoço porque estava um gelo!). E voltámos para casa com tempo para fazer a viagem com calma e regressar calmamente à rotina. 


Aqueles dias foram uma lufada de ar fresco, um balão de oxigénio de que precisávamos imenso. Fomos para longe de tudo e todos e conseguimos encontrar paz e sossego. Voltámos a casa verdadeiramente revigorados.
Assim foram as nossas bodas de papel!

P.s. Perdi a cabeça e consegui oferecer um relógio ao homem. Já tinha oferecido relógios antes mas este foi "o" relógio. Andei que tempos à procura do "tal", fiz pesquisa de mercado, encomendei com semanas de antecedência e andei a escondê-lo até chegar o dia de lho entregar. A cara dele valeu tudo, ficou maravilhado com o que lhe passei para as mãos e parecia um rapazito que nem conseguia acreditar no que os olhos viam. Felizmente ele adorou! E nada me podia ter deixado mais feliz que isso. Além dessa, a outra prenda que consegui preparar foi uma série de testemunhos de amigos que estiveram presentes no nosso dia sobre o mesmo e acabou por resultar numa recordação especial, que guardaremos com todo o carinho.

2 comentários:

  1. Foi um aniversário muito especial e que ficará na vossa memória :) Que continuem sempre super felizes!

    ResponderEliminar
  2. Já passou um ano desde que casaram?! Realmente o tempo voa mesmo! Fizeram vocês muito bem em "fugir"! Muitos parabéns*

    ResponderEliminar

Obrigada pelas tuas palavras!

Mais um regresso e o Verão a chegar

Cá estou eu de volta passado quase um mês desde a última publicação. É o reflexo do que têm sido as minhas últimas semanas! Tive das semana...