terça-feira, 10 de abril de 2018

Um dos maiores desejos para 2018


Tinha intenção, no final do ano passado, de falar com o meu patrão e perguntar-lhe se, aquando da renovação do meu contrato, decorrido um ano desde que entrei, podia ser revisto o meu ordenado.
Não que estivesse totalmente descontente com o que tinha acordado com ele em Janeiro de 2017 mas tendo em conta as funções que fui assumindo ao longo dos meses e do volume de trabalho que passámos a ter, achei que seria mais do que justo que a minha remuneração fosse ajustada.
Tinha pensado que falaria com ele para saber se seria possível fazê-lo quando fizesse um ano que cá estou, o que aconteceu no início do ano. Assim também saberia se me queriam ou não (uma vez que a renovação é automática, o meu contrato é a termo certo por um ano)... embora já desconfiasse que sim.

Acontece que na altura em que pretendia fazê-lo, ainda havia muita incerteza quanto ao ano 2018 e ao trabalho que teríamos. A acrescer a isso, houve uma situação com um dos funcionários mais antigos e com algum "estatuto" que me fez perceber que não seria a altura ideal para falar do assunto com o meu patrão, tendo em conta a sua reacção àquele outro caso. Resumindo, decidi que tinha de estar calada para manter o que tinha (que não era mau), continuando a procurar outra coisa melhor paralelamente. Afinal, já tinha feito um ano que tinha entrado na empresa e o meu contrato tinha sido automaticamente renovado, achei que tinha deixado passar a minha oportunidade e conformei-me com o trabalho e ordenado que tinha. Não estava satisfeita mas já me tinha convencido que tinha de me aguentar à bronca.

Fez um ano em Fevereiro que comecei a trabalhar onde estou. A meio do mês passado recebi uma mensagem do meu patrão, no Antes da Páscoa recebi, num sábado, uma mensagem do chefe a dizer que durante a semana seguinte deveríamos conversar sobre a minha remuneração e o ano que se tinha passado. Dias antes do final do mês fui chamada a conversar com ele sobre isso e propôs-se pagar-me um valor mais alto, com inserção da "isenção de horário de trabalho" para tal. Eu só perguntei se isso implicava alguma alteração das minhas funções (desde que me tinha enviado a mensagem que já estava mesmo a ver que seria carregada com mais trabalho ainda, que seriam discutidas as minhas funções, etc.) ao que me respondeu que não - "a empresa não está a passar um dos seus melhores momentos mas as pessoas têm de ser pagas". Eu tenho as minhas razões para desconfiar que não seja só porque valoriza o trabalho que tenho feito que decidiu aumentar-me - tenho para mim que a empresa tem custos demasiado baixos para aquilo que factura devido ao pessoal reduzido ao mínimo dos mínimos e, pela minha intuição, o meu ordenado era bem mais baixo do que o de qualquer um dos meus colegas - mas isso não me interessa. O trabalho a mais virá, se tiver de vir, com ou sem aumento. O reconhecimento do trabalho realizado vale o que vale. Sermos recompensados monetariamente é o melhor que um funcionário nestas condições pode desejar. Para mim, era o que eu precisava e mais queria. 

Não foi nenhum aumento por aí além mas foi um aumento e isso deixa-me muito feliz. Não é o meu emprego ideal, nem nunca imaginei estar a fazer aquilo que estou mas há outras coisas que para mim são muito importantes e que valorizo muito no local onde estou e, por isso, sou muito grata pelo que recebi - este trabalho, esta experiência, toda a aprendizagem, os colegas, as condições que me são proporcionadas, o ordenado certo ao fim do mês, com cumprimento de todas as formalidades e este aumento.

Embora não tenha espelho na minha realidade foi mais ou menos esta imagem que
apareceu na minha cabeça quando soube que ia ser aumentada.

Concretizou-se. Fui aumentadaOBRIGADA.

8 comentários:

  1. Eu sempre achei que a remuneração adequada às funções é um estímulo para qualquer trabalhador. E decorridos um ano, acho mais que merecido um aumento, até porque também houve aumento do trabalho a desempenhar.

    Falando por mim, e estando numa péssima situação a recibos verdes há quase 8 anos e sem ser aumentada há 5 anos, tirando os descontos que tenho de faezr para a segurança social, sobra-me um salário mínimo para 10 horas de trabalho diário, mais sábados. Pondero seriamente mudar de trabalho, de área inclusive. Porque não me sinto bem paga para o que faço. E sei que podiam pelo menos dar mais condições de trabalho: uma pessoa a recibos verdes têm condições demasiado precárias.
    Se já pensei em falar? Já. Muitas vezes. Mas sei que está acima de mim outra colega que está na mesma situação mas há 11 anos. Se ela continua em falsos recibos verdes, não serei eu a prioridade caso a empresa pense em efetuar contrato com alguém.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É vergonhoso o que fazem hoje em dia. Eu percebo que apesar de não termos as condições que achamos justas e necessárias nem sempre conseguimos falar porque é dar o incerto pelo certo e custa muito pôr isso em causa, afinal é o nosso sustento.
      Espero e desejo sinceramente que consigas dar a volta a essa situação e encontres um trabalho que te satisfaça! Coragem! E a melhor sorte!

      Eliminar
  2. É ótimo quando assim o é! Eu comecei à pouco tempo noutro trabakho e estou a detestar ! Apesar dejá ter experiência na área odeio as colegas, a chefia e todo o método como trabalham.

    ResponderEliminar
  3. Andei que tempos para ter a conversa do aumento... Foi-me sempre sugerido que o salário acordado no contrato era meramente formalidade, que poderia ganhar mais do que aquilo conforme o meu trabalho. Andei meses a matar-me a trabalhar à espera do aumento e nada. Já quase tinha desistido e em Dezembro, antes do Natal, fui informada que seria aumentada em Janeiro. 50€ de aumento é quase nada, mas fiquei contente. Agora o meu primeiro contrato acabou no dia 3 de Abril e ainda ninguém em disse nada. Penso que o contrato renova automaticamente, portanto não vou ter oportunidade de falar na questão salarial, ainda para mais tendo sido aumentada há 4 meses. Ainda assim, acho que ganho pouco. E sei que na empresa todos ganham mais do que eu, enfim. Já percebi que a questão salarial será sempre assim, nesta empresa. Tenho uma colega a tentar negociar o salário desde o final do ano passado, completamente descontente (o que ela ganha tendo em conta o que faz, é vergonhoso), e sem conseguir chegar onde quer. Portanto já percebi que comigo não seria diferente. Há que pensar que ao menos as condições de trabalho são boas, o ambiente é incrível, a relação com os colegas e entidade patronal é quase como uma família e, pronto, não há empresas perfeitas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é muito a isso que me agarro para me manter motivada. As condições e o ambiente são bons e o salário é CERTO ao fim do mês - infelizmente hoje em dia nem todo o sítio é assim e por isso só posso estar grata.
      Estou como tu, achei que não devia falar e fiz um grande esforço. Pensei que tinha perdido a minha oportunidade mas felizmente estava enganada. Se o teu contrato é de um ano a termo certo e termina a 3/04, para não to renovarem tinham de te ter avisado um mês antes. Se não o fizeram, a renovação é automática (o meu era assim, eu só ia "aproveitar" a ocasião de estar a fazer um ano para falar mas não deu).
      Quando achares que tens possibilidade de falar no assunto avança confiante. Afinal devemos sempre querer mais e melhor e o que hoje e dia a maior parte das pessoas recebe é vergonhoso tendo em conta o custo de vida. Além de o "não" ser garantido. Ou quando menos esperares pode ser que te aumentem como mereces - estou como tu, qualquer aumento é bem vindo, lá está - é melhor que nada.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Ser aumentada é sempre bom mas a palavra isenção de horário trás água no bico (só isso valeria um aumento de quase 400€ na minha empresa - até acho que os valores das isenções de horário estão na lei e correspondem a X% do vencimento). Para mim, com um filho, estaria fora de questão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão, a lei estipula um aumento de 22% do teu salário para a isenção de horário de trabalho.
      Embora erradamente, esse mecanismo é utilizado por muitas empresas para aumentarem os trabalhadores e poderem depois retirar esse acréscimo sem grandes complicações, é a grande diferença (que atrai tantos patrões) de ser aumentado por esta via ou ser simplesmente aumentado no salário base.
      Por outro lado, aquilo que me foi dito é que é um mecanismo utilizado para aumentar os trabalhadores nesta casa, que não me será exigido ficar até mais tarde nem um horário de trabalho diferente do que tenho agora. Embora isso valha o que vale, foi o que me foi dito e é nisso que quero acreditar. Até porque se se for por aí, só em casos (funções) muito específicas é que se percebe que um trabalhador tenha esta "isenção de horário de trabalho" e por isso, em caso de eventual litígio também não é fácil um empregador justificar isto...
      Eu mesmo sem filhos prezo muito o meu horário de trabalho certo. Porque se fosse para não ter horário não estava onde estou... (essa é uma das razões que me faz hoje estar um pouco mais distante da minha área de formação, a advocacia, profissão liberal por excelência que faz com que não se tenha horário).
      Obrigada. Beijinhos

      Eliminar

Obrigada pelas tuas palavras!

25 de Abril eterno

O nosso feriado foi passado a passear sobre duas rodas, com direito a indumentária bem mais fresca e a dar descanso aos relógios e horá...