Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Não me senti parte


Senti-me a mais, fui capaz de me questionar o que fazia ali, não consegui sentir-me bem lá mesmo que ninguém me tenha tratado mal, antes pelo contrário. Senti-me desconfortável, desenquadrada. E não soube reagir. Esforcei-me por não dar a entender o desencaixe e forcei um sorriso, calando as palavras, ficando quieta. Não quero voltar a senti-lo. É mau demais...e triste mas não consegui evitá-lo.

E era dia de festa mas eu senti que não pertencia a nada daquilo. Vi, diante dos meus olhos, desconstruir-se o que julgara firme e não era eu a sua família. Aquela sim era e será sempre, acima de mim, a família dele. E "todo o homem é de sua mãe" e de mais ninguém... E aquele é um amor tão maior que eu.

1 comentário:

  1. Todo o homem é Homem se amar tanto a mãe como a mulher que tem ao seu lado. Isso sim :)

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!