Pesquisar neste blogue

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Dar graças pelas coisas boas

Coisas boas, tão boas, que simplesmente não têm preço e só me podem fazer feliz.





  • Ele deixou a loja (que era um partime, numa coisa que ele não gostava propriamente nem tinha muito jeito, que o obrigava a não ter horários decentes com as horas extra nem fins-de-semana à conta das folgas serem só para conseguir conciliar os dias mais complicados) e está finalmente num trabalho na sua área, a tempo inteiro, minimamente estável e pago como deve (no mínimo) ser para alguém com as suas qualificações.
  • Eu também decidi deixar o trabalho no restaurante que estava verdadeiramente a dar cabo de mim e finalmente terei de me preocupar com a faculdade que tem de ser a minha prioridade.
  • Isto leva a que voltemos a ter fins-de-semana, coisa que desconhecemos durante aproximadamente um ano (e a diferença que faz, só quem passa por isto entende).
  • A minha avó virá visitar-nos (a mim, à minha mãe, a ele, etc.) e estará na cerimónia de entrega do meu diploma, no final deste mês.
  • O meu pai também virá à entrega do diploma e ficará connosco uns dias.
  • A minha irmã, apesar de ser difícil conseguir vir à cerimónia e isso deixa-me triste, passou a formação que esteve a fazer, com distinção e começou hoje a trabalhar como queria. Além disto está a tirar carta - o que, se ela for como eu, é algo muito importante, realizador pessoal.
  • Tive informação de que a bolsa será paga em breve, o que me alivia imenso - já não aguento ter de pedir sempre dinheiro ao meu pai e sobrecarregá-lo com as minhas despesas. O restaurante ainda não me pagou, portanto, o meu objectivo inicial imediato quando fui para lá (que era ter algum dinheiro enquanto não sabia se teria bolsa para não ter de pedir ao meu pai) não foi conseguido pois há mais de um mês que comecei e cá estou eu à espera (sentada) do pagamento.
  • O Natal está à porta não tarda (não conta pois não?)

1 comentário:

Muito obrigada pelas tuas palavras!