Pesquisar neste blogue

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Domingo delicioso

Depois de quase duas semanas difíceis em termos de articulação dos nossos horários com a visita da minha avó e tia, simultaneamente com as férias da minha mãe, e depois a visita do meu pai com a entrega de diplomas pelo meio, finalmente vimo-nos a sós depois de tanto tempo. Pareceu-nos uma eternidade as cinco noites que não dormimos juntos (porque o meu pai ficou em casa dele) esta semana que passou...! Durante a semana já é pouco o tempo que conseguimos passar juntos (e só não passamos menos porque eu me decidi a dormir quase sempre em sua casa e levantar duas horas antes do que precisava para podermos ter mais tempo juntos), se a isso acrescentarmos jantares e almoços fora, passeios depois do emprego e aulas e atrasos na hora de ir dormir e ele ter de me deixar em casa todas as noites...imaginem como foram estes dias!

No sábado de manhã fui por a minha avó e tia ao aeroporto e no domingo, bem cedo também, foi a vez do meu pai. Depois de o deixarmos, voltámos a casa e dormimos até depois das 13h. Vingámo-nos. Quando nos levantámos, ainda que tivéssemos mil e uma coisas pendentes para fazer para o trabalho e/ou aulas, a vontade de passear e aproveitar o único dia livre falou mais alto e decidimos sair para passear, sem saber muito bem onde - com o frio que estava era difícil escolher. Depois de um belo banho, preparámos um lanche improvisado e saímos sem destino - já deviam ser umas 16/17h. Fizemos a marginal toda até Cascais e não virámos para a vila, continuámos até ao Guincho. Mesmo antes de avistarmos o Meco, à nossa esquerda, encontrámos uma viragem, num acesso sem pavimento, em terra e pedra apenas onde ele decidiu virar. Eu resmunguei qualquer coisa como "Onde vais? Não vês que está uma confusão, está cheio de carros e não há lugar, ainda por cima já viste esta estrada?!" mas ele fingiu nem ouvir. Estacionou e disse "Vamos beber um chocolate quente? Pago eu?" eu estranhei mas lá assenti. 

Saímos do carro e passámos a entrada do que me pareceu um jardim, cheio de detalhes decorativos, com vários espaços, entre esplanadas, salas e salinhas, com cadeirões, bancos, sofás e cadeiras altas. Ele espreitou em busca de um posto vago e lá avistou numa das salas mais pequena, com cores quentes e um ambiente mexicano envolvente, com música ao mesmo género, uma decoração muito característica e detalhes únicos. Sentá-mo-nos e pedimos - primeiro um cheesecake, depois um chocolate quente, ambos deliciosos - e ficámos a conversar com o mar do Guincho pelas portas de vidro e um pôr do sol absolutamente magnífico.
E foi a melhor maneira de comemorarmos (ainda que em atraso) mais um mês de namoro volvido, o facto de voltarmos a ter algum tempo a sós (Deus, quão precioso isso é!?!), um amor que parece tão grande e, mesmo assim, a cada dia cresce mais. Partilhando sonhos quase secretos, só nossos, os desejos mais queridos e a vontade de continuar assim e ainda mais.

Querem saber qual é o cantinho dos seus de que falo? O bar O Moinho D. Quixote, no Guincho. Ele já me tinha falado dele e prometido que me levaria um dia mas como não é barato nem é muito perto, ainda não lá tínhamos ido e eu confesso que já nem me lembrava dele me ter falado... Chegámos ao entardecer, apanhámos o pôr do sol e eu adorei mas acredito que de dia tenha uma vista ainda mais de cortar a respiração com toda a imensidão de oceano e costa de praia diante dos nossos olhos. Garanto-vos que vale mesmo a pena, pelo passeio, pela vista, pela decoração, pela diferença, pela envolvência e originalidade. Recomendo! 
 
Ficámos neste cantinho, naquele banco ali mesmo.

Moinho recuperado, que dá nome ao local

Um dos pátios de jardim

A outra sala, maior, que estava cheia

A vista para o lado de Cascais

3 comentários:

  1. Conheço perfeitamente...
    É de facto um sitio delicioso, tanto de dia, em que podemos apreciar a paisagem, como de noite, que dá para ver os mistérios da serra...

    Não me lembro bem onde, mas no caminho para o bar ainda tens um género de passagem ssecreta, julgo que é no moinho... Uma pequena surpresa guardada para os mais atentos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah sim? Eu não reparei, como estava a entardecer já fazia frio e metemo-nos dentro de portas. Mas fiquei com muita vontade de lá voltar e irei com mais tempo, a ver se com a luz do dia :)

      Eliminar
  2. Que linnnndo!
    Guarda esses momentos:))) tão bns, tão preciosos:)
    Parabéns meus Amores:)

    jinhoooosss

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!