Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Com que perco os meus pensamentos

Faz hoje uma semana que estou "de férias". Mas na verdade não me lembro de ter estado um dia sem fazer nada - e eu acho que isso é bom sinal, aliás, eu não consigo não fazer nada então depois acabo, mesmo quando devia/tinha de descansar, por não o fazer.

Recomecei a ir a um escritório onde dão extrema prioridade aos estudos e é muito mais light numa de "sem compromisso" e para ver no que dá. Até ao final de Julho posso frequentar o escritório em (meios) dias marcados alternadamente, acompanhar o Dr. e perceber como funcionam as coisas por lá. Em Setembro é que devo decidir (se eles me quiserem também) se serão eles os meus patronos.


Entretanto ontem ligaram-me daquele onde estive a estagiar, mais precisamente ligou-me a secretária fofinha (NOT) toda "falinhas mansas" a perguntar se sempre contavam comigo a partir de Setembro e aquilo eram só simpatias. Eu não estava à espera daquela chamada (estava a preparar-me para lá passar ou ligar desde o fim dos exames para dar alguma resposta em relação a isto, assunto pendente que me andava a atazanar o juízo) e respondi que em princípio sim, que contassem comigo e que, havendo alguma alteração, os informaria. Por um lado deixa-me aliviada saber que tenho para onde ir trabalhar, por outro não sei se é a melhor opção porque já lá tive e sei o quão desgastante é, que não pagam mais de 500€, que é praticamente impossível fazer o que quer que seja depois do trabalho (nomeadamente a tese) e que há lá a queridinha que me ligou ontem. Por outro lado, exactamente por já lá ter estado sei que gosto, em geral, do ambiente e até do trabalho que lá se faz, já estou mais habituada e não terei de "começar do zero" porque já me deram valor...então não sei. A minha indecisão era se deveria começar a trabalhar tendo ainda a tese por fazer mas não o fazer implica uma de duas coisas: ou não fazer começar já o estágio da OA (que vai ser bem longo) ou ter de arranjar um patrono que não queira obrigatoriamente que eu trabalhe, só para poder fazer a primeira parte da OA (aulas) e a tese primeiro, o que implica necessariamente uma mudança de patrono mais tarde (que tem custos, claro).

E é este o impasse em que estou há meses...

Pois que, desde que fiz três exames seguidos, na segunda, terça e quarta da semana passada que já não tenho mais exames e terminei a parte lectiva do Mestrado. E falta-me saber apenas duas notas.
Agora vem aí a tese, cujo tema não faço ideia o que será e aí está mais uma das coisas que me atormenta. Tenho esperança que desça a luz em mim e tenha uma ideia brilhante: de que goste, que seja útil e exequível.


Outra grande preocupação era a viagem para casa no Verão, em Agosto que é quando o G. está de férias. Estavam a mais de 300€ há meses e eu já estava a ficar mesmo preocupada porque afinal tínhamos datas-limite para cumprir. Até que na semana passada finalmente abriu um voo novo de ida e a viagem ficou mais barata 100€. Apesar do regresso continuar a preços muito altos (porque é Setembro e as companhias aéreas sabem que vem imensa gente, mais os novos caloiros e abusam (mesmo!) decidi que seria melhor comprar já que o tempo vai passando e corria o risco de ter de comprar mais caro ainda, sendo que baixarem mais podia/pode acontecer mas não é certo. Assim, já comprámos a nossa viagem de férias e isso deixa-me muito mais descansada e feliz (felizes - aos dois, porque bem merecemos!). Daqui a um mês estamos lá!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!