Pesquisar neste blogue

sábado, 20 de dezembro de 2014

Roteiro: Braga, Guimarães e Porto

Aproveitámos o último (único?) fim-de-semana prolongado do ano para finalmente rumarmos a norte do país - de 5/6 a 8 de Dezembro. O plano já era antigo - visitar Braga, Guimarães e Porto - e já tinha sido adiado vezes e vezes sem conta. Até que na quarta-feira anterior decidimos que iríamos mesmo, desse por onde desse. E fomos. Nesse dia procurei os sítios mais baratos para dormirmos e nessa noite escolhemos e reservámos. Partiríamos na sexta à noite, embora nos esperasse uma longa viagem e não conseguíssemos sair cedo de Lisboa (porque ambos tínhamos jantares marcados) porque assim estaríamos lá Sábado e Domingo inteirinhos e teríamos ainda parte de Segunda.
Chegámos às 4.30h a Braga, depois de tudo se ter atrasado e só termos saído de Lisboa depois da meia noite. Foi difícil descansarmos porque ficámos num quarto junto à entrada e sala de refeições do sítio onde ficámos e tivemos o azar de nessa manhã fazerem uma barulheira do pior logo às 7.30h. Ora, se nos tínhamos deitado às 5h e às 7.30h fomos acordados, pelas 10h estávamos de pé para aproveitar o dia...façam vocês as contas!

Passámos o dia em Braga: no centro deliciámo-nos com uma feira de Natal e perdemos a conta às igrejas e aos sítios que pareciam ter sido tirados de uma qualquer história de época; fomos ao Bom Jesus e subimos a famosa escadaria; e não podia faltar o Sameiro, imponente e majestoso, de cortar a respiração. Jantámos muito bem junto à Universidade por 5€ cada um (mal dá para acreditar: sopa, bebida, prato, sobremesa e café)! Voltámos ao Sameiro e Bom Jesus à noite, bem como ao centro e zona antiga. Perdemos a cabeça e demo-nos ao luxo de um crepe gigante com morango e chantilly a acompanhar um chá bem quentinho. Foi um primeiro dia muito bem aproveitado.
Eu confirmei a paixão que cultivei por Braga. É uma cidade deliciosa, mágica e especial. Com tanto de antigo e de histórica como de moderna e ousada. Foi tão bom dá-la a conhecer a ele também e revisitar cada cantinho! Conheci muita coisa também eu e com certeza ficou ainda muito por ver mas...lá voltaremos se Deus quiser.










No Domingo fomos para Guimarães por volta da hora de almoço. Não conseguimos ver muita coisa, quisemos só passar porque a nossa intenção era ir conhecer o Porto (uma vez que o G. nunca lá tinha ido). Passámos no centro, fomos ao Castelo e pouco mais. Algumas fotos...muitas voltas, que estava imenso trânsito, e pusemo-nos a caminho do Porto. Guimarães pareceu-nos uma cidade muito engraçada, com arquitectura e organização muito característica, as casas todas arranjadinhas, os prédios semelhantes, antigos, todos bonitinhos, com alguns monumentos de fazer parar o trânsito mas como pouco mais do que isso para dar a conhecer. Mas passámos lá tão pouco tempo e não conhecíamos de antemão nada, nem fizemos planos quanto ao que visitar, por isso, não nos podemos pronunciar muito.







Fomos deixar as coisas à pensão onde passámos a noite e saímos para ir ter com a minha prima (que estuda lá). Demorámos uma eternidade a fazer meia dúzia de metros, graças ao trânsito infernal que estava e arranjar lugar foi uma proeza, longe como só visto (mais valia ter ido a pé logo desde a pensão - mas estávamos mal parados lá)...
Quando finalmente conseguimos encontrar-mo-nos com ela, fomos passear e jantámos numa hamburgueria, deliciámo-nos com as luzes e decoração de Natal, havia imensa gente nas ruas, passeamos, tirámos fotos, conversámos, fomos ao café e finalmente descansámos.

No feriado de manhã, fomos até ao Palácio de Cristal. Estava um dia radiante, parámos o carro próximo, comprámos o pequeno almoço numa mercearia tradicional, comemos no jardim do palácio e ficámos rendidos à vista e paisagens. Ainda lá passámos algum tempo a descobrir os cantinhos.
Fomos até ao centro, ao encontro da minha prima, pela hora do almoço. Eram umas 13h30 quando fomos para o restaurante SANTIAGO, famoso pelas francesinhas, não podíamos falhar!

Empaturrámo-nos, fomos passear ainda mais para ver se digeríamos, descemos à Ribeira, passámos a Ponte D. Luís I, fomos até Vila Nova de Gaia e subimos até São Bento no Funicular dos Guindais (vista fantástica, com o pôr do sol!). Ainda espreitámos a Sé e acabámos o dia no SPIRITO, que não conhecíamos mas que é uma perdição. Saímos de lá com dois cupcakes e um mini bolinho maravilhosos, para alegrar o regresso a Lisboa. Despedimo-nos da minha prima e dirigimo-nos ao carro, pelas 18h30 - tínhamos feito planos de partir pelas 18h para não chegarmos muito tarde a casa.




















Mas o fim-de-semana não podia ter sido perfeito e tínhamos à nossa espera uma coima de estacionamento (60€). Mal podíamos acreditar, eu fiquei mais do que chateada. Tínhamos reparado que era um "parque privativo" porque estava lá essa sinalização mas como estava sem qualquer barreira ou cancela, julguei que estaria ainda em obras ou em acabamentos. Até porque, sendo (segundo a sinalização) reservado a autocarros, estava cheio de carros estacionados. Resolvemos ir até à esquadra que indicava na multa, com esperança de que nos pudessem atenuar aquilo, explicando o sucedido, que não éramos dali e estávamos de passagem, enfim, no fundo tentar perceber se havia algo a fazer senão pagar e calar. Mais uma vez ficámos imenso tempo no trânsito (estava impossível!) e levámos muito tempo a chegar à esquadra, quando lá chegámos nada fizeram, nem quiseram ouvir-nos, não nos souberam informar - eu queria, já que não havia nada mais a fazer - pagar aquilo de uma vez e mandaram-me preencher uns dados para me enviarem a nota de pagamento pelo correio (wtf?! Se estava ali de propósito, pagava logo!)... uma confusão tremenda. Quando finalmente perceberam que eu queria pagar logo, foi necessário chamar o polícia que tinha passado a multa, depois afinal podia ser outro a cobrá-la, o MB tinham de ir buscar...bem, uma trapalhada. Saímos de lá para Lisboa, mal disse uma palavra durante as 4h de viagem, estava tão mas tão triste com aquilo.

Nunca vi o Porto tão bonito como desta vez, aliás, eu confesso que nunca achei grande encanto à cidade Invicta mas tenho de mudar de opinião depois desta visita. Estava muito sol, apesar do frio, o céu limpo e talvez a visita guiada e a magia do Natal tenham feito mesmo a diferença. Eu adorei os nossos passeios e ficarão, sem dúvida, na memória!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!