Pesquisar neste blogue

terça-feira, 2 de junho de 2015

Celebrar o amor



O casamento do ano foi no sábado passado.
Pela primeira vez chegámos mesmo muito atrasados à Igreja e não conseguimos ouvir mais do que "em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" quando abrimos a porta e só tivemos tempo de ver os recém casados no altar a selarem a união com um beijo (sexta-feira foi dia de festa do trabalho do G. que se alongou noite dentro e no dia seguinte não nos conseguimos levantar muito cedo, tendo muita coisa para fazer antes de conseguirmos sair de casa decentemente). 

A noiva estava linda! E o casal claramente feliz. 
Embora não conhecêssemos muita gente lá, pudemos rever amigos. Estivemos, por isso, a conversar algum tempo no adro da igreja, lançámos o tradicional arroz aos esposos e felicitámo-los.

Andámos muito tempo às voltas até encontrarmos a quinta onde decorreu a festa (e deu-nos cabo dos nervos). A decoração e os vários ambientes /locais estavam muito elegantes e requintados. A decoração estava simples, clean e moderna com detalhes engraçados.

Na minha (modesta) opinião faltou maior /melhor orientação no que respeita às indicações para e dentro da quinta, a recepção pecou pelo espaço reduzido para as pessoas se sentarem e estarem e a comida servida não foi a melhor escolha. Mas esta é uma opinião muito pessoal, não uma crítica porque não tenho o que apontar. Entre o copo d'água e o almoço/jantar passou demasiado tempo, estávamos cheios de fome e houve muitos tempos mortos, sem animação ou interacção nenhuma com os convidados, o que fez com que as pessoas esmorecessem e a festa perdeu muita animação com/ por isso. 


Houve direito a vídeo sobre a relação e a "filme" ficcionado sobre a união. Circulou um álbum fotográfico, com fotos mesmo giras deles onde podíamos deixar dedicatórias engraçadas ao casal. As lembranças foram super originais e adorei a ideia - narizes vermelhos, da Operação Nariz Vermelho. E o carro nupcial era nada mais nada menos do que uma WV pão de forma (linda!)!

Dançámos um bocadinho (embora nada comparado com o que aconteceu nos outros a que já fomos) mas o que salvou a festa foi a filha de um casal amigo nosso que nos entreteve e divertiu por ser tão adorável. Houve também buffet de doces e de queijos - a mesa era linda e muito variada - mas não conseguimos comer quase nada. Afinal não tínhamos comido assim há tanto tempo e não nos mexemos o suficiente para desfazer o que tínhamos almoçado/jantado. 

O momento alto, além dos vídeos, foi o corte do bolo e soltarmos balões brancos com luzinhas dentro e ficámos a olhar para o céu a vê-los partirem e espalharem-se pelos ares. Parecia magia!

A abertura da pista de dança foi muito divertida, com um medley dançado pelos noivos super engraçado, só foi pena ter acontecido tão tarde e não terem apostado mais na dança e animação durante a tarde. Foi-se perdendo o entusiasmo (falo por mim, claro!) e acabámos por nos vir embora pela meia noite - não me lembro de me ter vindo embora tão cedo de nenhum casamento por vontade própria.


E assim se celebrou o amor, depois de nove anos e meio juntos, a morarem juntos há cinco, os nossos amigos oficializaram a sua união pelo casamento. E que venham muitos, muitos e muitos mais anos juntos e felizes. Que isto é obra e eles são amorosos!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelas tuas palavras!