Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Dureza da vida

Nem sempre as coisas são um mar de rosas. Nem sempre nos podemos dar ao luxo de fazer planos, por mais simples e básicos que possam parecer. Nem sempre é fácil aperceber-mo-nos que estamos por nossa conta e risco, sozinhos. Nem sempre é fácil nos esquecermos do que nos magoa, acreditarmos que podemos mudar as coisas e fazer a diferença, que conseguimos dar a volta às dificuldades. Muitas vezes os obstáculos agigantam-se e os problemas crescem como uma bola de neve sem fim. Muitas vezes perdemos a esperança nos outros. Muitas vezes nos desiludimos com aqueles com quem achávamos que podíamos contar. Muitas vezes nos sentimos injustiçados, a vida é dura e ingrata. Muitas vezes os nossos esforços parecem em vão, os sacrifícios nunca parecem suficientes e a vida parece ter de ficar em suspenso porque não temos condições. Muitas vezes apetece-nos desistir de sonhar porque tudo parece tão longe e distante, mesmo com todos os nossos esforços e com todo o trabalho que temos nesse sentido. 


É muito difícil manter a esperança quando todos os nossos esforços não são suficientes para aproximarem os nossos sonhos da nossa realidade. É muito duro, é frustrante, é injusto e cansa, desgasta-nos, mói. Não é fácil continuarmos a acreditar que é possível realizar um nosso sonho quando um grande impedimento vive no nosso caminho e nós não somos capazes de o afastar. Por vezes esquecemo-nos dele durante uns tempos mas ele não vai a lado nenhum, continua ali, por mais que o tentemos contornar, não há nada a fazer, ele não vai a lado nenhum. Então qual é a solução?

2 comentários:

  1. Gostei muito do texto. Descreve muito bem a minha vida agora.
    Não sei qual é a solução, em concreto, porque desconheço a situação. Mas acredito que seja remover o obstáculo ou contorná-lo. Eu acredito que há sempre algo a fazer. Não existem obstáculos incontornáveis

    ResponderEliminar
  2. Das duas uma: ou és mais teimosa que a vida e não te deixas abalar pelas rasteiras que ela prega, encaras esses contratempos como uma lição e um meio para dares ainda mais valor ao que de bom tens e virás a ter na tua vida; ou, se for o caso, tens de saber desistir de um sonho e encontrar outro que te dê mais prazer. Depende do que estiver em jogo, se há coisas que valem a pena lutar, outras há que saber desistir para nosso bem.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!