Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Orçamento de casamento

Ultimamente, com o aproximar da data do nosso casamento, temos recebido algumas confirmações e algumas recusas de convite. Embora ainda nos faltem várias respostas, isso tem-nos permitido ajustar o que contamos gastar com maior exactidão. 
O site do casamentos.pt tem sido uma ajuda fantástica com ferramentas que nos têm facilitado a vida e a organização de todo o casamento. Aquilo que mais uso são os instrumentos de cálculo do orçamento e da lista de convidados, que estão, no fundo, estreitamente ligados. 
Na ferramenta dos convidados podemos indicar os que já confirmaram, os que levam acompanhantes, os que cancelaram e, a partir daí, ter os nomes todos para preencher as mesas - outra ferramenta muito útil - e fazer a lista de pessoas para cada mesa. Com o "orçamentador" consigo gerir e prever o que gastamos, colocando cada item relacionado com o casamento, dividido por categorias (ex.: festa, flores e decoração, cerimónia, roupas, etc.) e adicionando um valor estimado, o custo final e os pagamentos que são realizados em cada coisa. Parece confuso? É super simples e muito, muito prático e útil para quem, como nós, organiza um casamento por si. 
Nos últimos tempos, apesar de todos os contratempos e dificuldades, conseguimos juntar na poupança um valor superior ao que estimamos que seja o nosso custo final pendente. Isto porque já temos uma parte do custo final estimado pago mas a maioria do que iremos gastar ainda não está paga porque os nossos fornecedores não querem aceitar pagamento antecipado. No verão pretendíamos pagar ao fotógrafo e à quinta mas não nos deixaram, insistindo para que o fizéssemos depois do casamento. Por isso, e porque para nós é uma grande preocupação ter o dinheiro necessário para o que iremos gastar, tê-lo de parte é um grande alívio. 


Como já disse antes, e apesar de eu neste momento não estar a ser remunerada, graças a Deus, às nossas poupanças e a muita ginástica orçamental, temos conseguido manter tudo controlado, por mais dificuldades que passemos (isto só pode significar que temos um Grande Aliado!). O maior segredo (e desafio) é adaptar o que vamos fazer àquilo que podemos gastar e que conseguimos pagar. Porque apesar de termos sido presenteados com algumas prendas (como o bolo e o vestido de noiva) de pessoas que nos irão ajudar, quem vai pagar o nosso casamento somos nós dois - não será o meu pai nem o pai do noivo, e muito menos esperamos que sejam os convidados (como muita gente vemos fazer).

4 comentários:

  1. Parece bem útil esse site :)

    Que bom que têm conseguido gerir bem as coisas. Podias dar umas dicas de como ir juntando dinheiro para o casamento ou como ir gerindo os gastos, tendo em conta a vossa experiência :)

    ResponderEliminar
  2. Eu revejo-me imenso nestas palavras porque connosco foi igual: fomos nós que pagámos e só fomos até onde pudemos ir. As ajudas vieram depois em formato de presentes mas não nos metemos em nada que não pudéssemos pagar.
    A verdade é que é tudo tão caro e se gasta tanto que acaba por ser fácil uma pessoa entusiasmar-se e é só mais 100, só mais 200 e quando damos por isso já estamos no descontrolo. Ter um orçamento definido e ir acompanhando os gastos foi essencial para mim e ainda bem que encontraste forma de o fazer também!

    ResponderEliminar
  3. É importante vocês seguirem o vosso orçamento o mais fielmente possível. Ainda bem que há casais como vocês. Já vi muito boa gente a fazer casamentos de sonho a contar com as prendas dos convidados. Não pode haver pior coisa. Quanto a pagar antecipadamente fotografo e quinta, de facto, sempre ouvi dizer que "quem paga adiantado, é mal servido". Há coisas que é melhor pagar depois.

    ResponderEliminar

Muito obrigada pelas tuas palavras!